Header Ads

ENTENDA COMO FOI O ACIDENTE QUE MATOU MÃE E FILHA EM ÁGUAS CLARAS

Enquanto várias famílias comemoravam o Dia das Mães, uma sofria com a irresponsabilidade no trânsito. A jornalista Alessandra Tibau Trino Oliveira, 33 anos, e a filha, Júlia Trino Oliveira, de 1 ano e meio, morreram após uma picape bater no veículo em que seguiam com Gabriel Faria de Oliveira, 31, marido e pai das vítimas. O condutor da Saveiro, Rafael Yanovich Sadite, 33, além de dirigir em alta velocidade numa via de 60km/h, estava embriagado, conforme resultado do teste do bafômetro - ele estava com a Carteira Nacional de Habitação (CNH) suspensa. O Correio apurou que o condutor perdeu temporariamente a licença justamente por dirigir bêbado em 2010. O enterro das duas será realizado hoje no Cemitério Campo da Esperança.

O acidente aconteceu por volta da 1h de ontem. A família havia saído de um encontro com parentes no Park Way e voltava para casa, na Quadra 21 de Águas Claras. O corretor de imóveis Gabriel conduzia um Honda Fit pela DF-079, quando passou pelo cruzamento que dá acesso à via de entrada da cidade, na Quadra 5 do Park Way, próximo ao viaduto localizado embaixo da linha do metrô. Ali, o veículo foi atingido pela Saveiro. Com o forte impacto, o Fit capotou. A picape parou a cerca de 80m do ponto da colisão.
O Corpo de Bombeiros prestou atendimento, mas Alessandra morreu no local. Júlia, então em estado grave, e Gabriel foram encaminhados para o Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF). A criança, porém, não resistiu aos ferimentos. O pai teve duas costelas quebradas e ferimentos no rosto. Recebeu alta médica horas depois, e está sob os cuidados de familiares na casa da mãe. Ele chegou a atender uma ligação do Correio, mas, em estado de choque, não teve condições de falar. “É um momento de muita dor, mas a nossa intenção é que os motoristas tomem consciência na hora de pegar o volante. Quando alguém bebe e vai dirigir, está automaticamente dispondo a tirar a vida de alguém. Não vamos trazer elas (mãe e filha) de volta com isso, mas queremos que as pessoas se conscientizem”, disse Ana Carolina Andrade, 29 anos, prima de Alessandra.
Rafael Sadite teve apenas escoriações leves. Recebeu atendimento no Hospital Regional de Taguatinga, onde foi preso em flagrante por agentes da 21º Delegacia de Polícia (Taguatinga Sul). Ele prestou depoimento e foi indiciado por duplo homicídio doloso e uma tentativa de homicídio dolosa. A Carteira Nacional de Habitação (CNH) dele estava suspensa. O Correio apurou que o condutor perdeu temporiamente a licença justamente por dirigir bêbado em 2010.
Leandro Yanovich Adão, primo de Rafael, estava no banco do carona da Saveiro e quebrou as pernas. Foi levado para o HBDF. 

FONTE: Correio  Braziliense

Nenhum comentário:

Obrigado pela sugestão.

BOMBEIROS DF. Tecnologia do Blogger.