Header Ads

MUNDO - EXPLOSÃO DE MINA DEIXA PELO 157 MORTOS NA TURQUIA

Pelo menos 157 mineiros foram mortos, e centenas continuam presos no subsolo, na explosão de uma mina de carvão na cidade turca de Manisa (oeste), nesta terça-feira, anunciou o prefeito.
"De acordo com dados extraoficiais, o número de mortos chega a 157, e o de feridos, a 75", disse o prefeito de Manisa, Cengiz Ergun, à CNN Turquia.

A explosão teria sido causada por um problema elétrico, registrado por volta das 12h30 (9h30 de Brasília).
Os bombeiros tentavam bombear ar para as galerias da mina para os mineiros presos cerca de dois quilômetros sob a superfície da terra e a uma distância de quatro quilômetros da entrada da mina.
Os bombeiros indicaram que uma fumaça espessa impedia o avanço das equipes.
Os socorristas enviaram um helicóptero ao local do acidente e o Exército, uma equipe de cerca de vinte pessoas, segundo a agência de notícias Anatolia.
Informações indicam que os mineiros têm máscaras de oxigênio a sua disposição, mas não se sabe por quanto tempo podem sobreviver nestas condições.
De acordo com a imprensa local, 580 pessoas estavam na mina no momento da explosão, mas várias conseguiram escapar.
Parentes dos mineiros estão no local do acidente. Muitos estão aos prantos.
Vedat Didari, especialista em indústria mineradora, explicou à AFP que o principal risco é a falta de oxigênio.
"Se os ventiladores não funcionarem, os mineiros podem morrer em uma hora", disse Didari, da Universidade Bulent Ecevit, em Zonguldak.
As explosões em minas de carvão são comuns na Turquia, principalmente no setor privado, que, em muitos casos, não respeita as regras de segurança.
O acidente mais grave aconteceu em 1992, quando 236 mineiros perderam a vida em uma explosão de gás na mina de Zonguldak.
O distrito de Soma, que tem cerca de 100.000 habitantes, é um dos principais centros de extração de lignito (carvão fóssil), a principal atividade da região. 
 Fonte: Correio Braziliense

Nenhum comentário:

Obrigado pela sugestão.

BOMBEIROS DF. Tecnologia do Blogger.