Header Ads

MINISTRO DA SAÚDE VISITA INSTALAÇÃO DE COMBATE AO AEDES AEGYPT NO CBMDF

O avanço do mosquito Aedes aegypti, causador da dengue, febres amarela e chikungunya e do zika vírus motivou a criação em dezembro de 2015, da Sala Distrital de Comando e Controle para o combate ao mosquito, instalada no Comando Geral do Corpo de Bombeiros Militar. Na manhã desta segunda-feira (25), o governador Rodrigo Rollemberg e o ministro da Saúde, Marcelo Castro, visitaram a sala.
A criação da sala é uma recomendação do Plano Nacional de Enfrentamento à Microcefalia, elaborado pelo Ministério da Saúde. E Brasília é a primeira unidade da Federação a implantar o espaço, onde é feito o monitoramento, o controle dos números de visitas realizadas pelos agentes, do efetivo destinado às ações, dos locais com maior demanda e das áreas visitadas.
 Durante a visita, Rodrigo Rollemberg afirmou que todos os instrumentos de combate disponíveis estão sendo utilizados no Distrito Federal. O governador também destacou que, em 2015, houve uma redução de 16% no número de casos de dengue, mas, neste ano, houve um aumento de 110% em relação ao mesmo período do ano passado. "Isso se deve ao volume de chuva, que neste início de ano está mais elevado", explicou.
Já o ministro Marcelo Castro destacou o trabalho desenvolvido pelo Ministério da Saúde no combate ao mosquito e as salas, que devem ser criadas em todas as capitais estaduais. O ministro também pediu o empenho da população no combate ao Aedes, lembrando que não basta o esforço desenvolvido pela força-tarefa formada por diversos diversos órgãos e criada pelo governo local.
Desde a inauguração da sala, 27 mil toneladas de lixo foram retiradas das ruas pelo SLU (Sistema de Limpeza Urbana) e encaminhadas para o Lixão da Estrutural. No total, 500 agentes de saúde visitaram mais de 107 mil residências, 12% das casas do DF e 17% das residências ainda não foram visitadas por falta de acesso aos locais.
Na quinta-feira (21), agentes Vigilância Ambiental receberam treinamento para a aplicação do BT- Horus SC (biolarvicida), produzido pelo laboratório União Química. O fabricante doou 600 litros do líquido para a realização dos testes.
Boletim
O último boletim epidemiológico semanal, divulgado na quarta-feira (20), apresentou uma redução do avanço da dengue em 13 regiões administrativas do DF. Em outras nove regiões, o número de casos foi mantido.
Somente Brazlândia sofre com um surto da doença. Na primeira semana de 2015, a cidade tinha três casos de dengue e nesse último boletim, apresentou 100 casos. As outras cidades mostram resultados positivos. Para frear o aumento dos casos de contaminação naquela região, 150 profissionais da Vigilância à Saúde foram encaminhados ao local na semana passada.
Força-tarefa
A força-tarefa que atua no combate à dengue envolve 500 agentes da Vigilância à Saúde, 120 homens do Exército, 100 militares do Corpo de Bombeiros, 50 marinheiros, 40 homens da Aeronáutica. Além de agentes da Defesa Civil, Secretaria de Saúde, Serviço de Limpeza Urbana do DF, Novacap (Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil), Emater/DF (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal) e Agefis (Agência de Fiscalização do Distrito Federal).
Fonte: Fato On Line


Nenhum comentário:

Obrigado pela sugestão.

BOMBEIROS DF. Tecnologia do Blogger.