Header Ads

COMEÇAM AS PRESSÕES DA PM E BM AO GOVERNO DO DF

Hoje (05) o Deputado Federal Alberto Fraga (DEM-DF) reuniu-se com associações e lideranças políticas da PMDF para debaterem a reunião de ontem entre o governador Rollemberg e esses mesmos representantes, onde claramente ficou demonstrado a indisposição do governo em encaminhar o pedido de reajuste das categorias ao governo federal, conforme havia sido solicitado e dado um prazo até ontem (04) em reunião passada de policiais e bombeiros na Câmara Federal.
Durante a reunião os temas relevantes e que estão trazendo desconforto às categorias foram debatidos. Reajuste, Plano de Carreira e Plano de Saúde foram a tônica. Todos foram unânimes em afirmar que o momento é delicado e que não podemos agir pela emoção, principalmente por termos às nossas costas códigos e regulamentos completamente arcaicos que podem trazer prejuízos irreparáveis aos integrantes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros.

As estratégias de pressão serão muito bem organizadas e não cessarão até que o governo reconheça que as instituições não dependem dele para receberem seus reajustes, já que o Fundo Constitucional do DF criado em 2002 garante essa prerrogativa em Lei específica. A união das classes será o carro chefe e a preocupação em trazer ao conhecimento da sociedade a falta de respeito por que passam as categorias serão fundamentais para o êxito dos pleitos. “Nessa hora nada mais importante do que ter a sociedade a nosso favor, principalmente lutando contra um governo que tem a máquina administrativa e publicitária a seu favor”, disse Fraga.
Para isso algumas ações deverão ser adotadas de imediato, sempre com a participação do deputado Fraga e das categorias, tais como a confecção de panfletos informativos à sociedade, faixas e cartazes, outdoors espalhados pelo DF, além de outras ações mantidas em sigilo. No dia 12 de julho, a partir das 09:00 horas uma grande carreata pelo centro de Brasília, com concentração no estacionamento do Estádio Mané Garrincha abrirá os eventos reivindicatórios.
Essas medidas foram, inclusive, motivo de pronunciamento hoje em plenário na Câmara dos Deputados por Fraga, que solicitou constar nos anais da casa e na voz do Brasil.
Uma participação importante nessa reunião foi a presença das associações de oficiais da PMDF e CBMDF, representadas por seus presidentes Cel Fábio Pizetta e Cel Abud, que estão sensibilizados e dispostos a envidar todos os esforços para que toda categoria esteja unida.
Uma coisa ficou bem definida na reunião: Não haverá retrocesso até que o governo do DF tome as devidas providências em relação ao que é de direito das categorias e a paralisação não deixa de ser uma das opções a ser levada em conta. Tudo dependerá única e exclusivamente do governador Rodrigo Rollemberg. Mas nada, absolutamente nada, será feito sem a responsabilidade que é peculiar aos policiais e bombeiros perante à sociedade.
Participaram ainda da reunião a ASPRA, ARMILC, Clube dos Bombeiros, ASBOM e lideranças políticas. Uma das ausências bastante sentidas foi o não comparecimento da CIFAIS e da CABE PMDF, uma das maiores associações da América Latina com mais de 16 mil associados.
Da redação,

Por Poliglota…

Nenhum comentário:

Obrigado pela sugestão.

BOMBEIROS DF. Tecnologia do Blogger.