Header Ads

IMPLOSÃO DE ROCHA NA EPIA, PERMITE CONTINUIDADE DE OBRA

Em função das obras do Trecho de Triagem Norte, na DF-003, mais conhecida como EPIA, por onde passam cerca de 100 mil veículos por dia, equipes do Departamento de Estradas e Rodagens, Defesa Civil, Policia Militar, Corpo de Bombeiros, SLU e Caesb fizeram uma operação para implodir uma pedra que impedia a continuação das obras. O trânsito no trecho de 5,2 km foi completamente interditado 30 minutos antes da implosão, que ocorreu às 15h50 deste domingo (17). Ainda foi necessária uma segunda para destruir 10% da rocha que não foi imediatamente liquidada.

Para o diretor-geral do DER, Henrique Luduvice, a detonação foi um sucesso. Não houve detritos na pista, assim como planejado, o que possibilitou a abertura da mesma em pouco mais de 30 minutos. O subsecretário de Defesa Civil, Coronel Sérgio Bezerra, afirma que a instituição fez uma vistoria no local da implosão e nos arredores, incluindo as casas e comércios, para observar se não houve nenhuma rachadura ou dano. Nada foi prejudicado.
Cerca de 1,1 ton de explosivos foram utilizados para a ruptura da pedra de 150m de comprimento e 27m de largura. A rocha, que fica sentido Planaltina-Plano Piloto, está localizada no espaço onde serão feitas escavações para a construção de um viaduto que dará acesso ao Setor Taquari. Por ser muito extensa, outras detonações serão feitas nos próximos meses. A deste fim de semana foi apenas da parte superficial. A colocação dos explosivos foi feita às 6h deste domingo, em 497 furos feito na rocha. Depois, uma camada de terra foi colocada para diminuir os detritos e o barulho, já que próximo dali há uma área ambiental com muitos animais.
Planejamento
O subsecretário de Defesa Civil afirma que foram dois meses de preparação para garantir a segurança dos moradores da área e dos usuários da rodovia. O coronel explica que, por segurança, dois raios de impacto foram previstos a partir do ponto de implosão: um de 300m, que recebeu os destroços maiores, e outro de 1km, feito para que haja um espaço seguro para que ninguém se machucasse.
Na semana passada, 42 edificações foram notificadas pessoalmente por que estavam no raio de 300m. As pessoas foram avisadas para deixarem momentaneamente as residências”, diz Bezerra. Durante a última semana, o governo fez um trabalho de divulgação de vias alternativas em que os motoristas poderiam utilizar para evitar a área. Os usuários poderiam buscar as pistas da região do Paranoá ou de Brazlândia para ter acesso a Sobradinho e condomínios ou Planaltina.
Novas obras
A previsão é de que as obras da Ligação Torto-Colorado e do Trevo de Triagem Norte custem R$ 207 milhões, sendo R$ 146 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), com R$ 51 milhões de contrapartida do GDF e R$ 10 milhões da Agência de Desenvolvimento do DF (Terracap). As medidas buscam uma forma de resolver os congestionamentos diários que os usuários da rodovia sofrem diariamente. A estrada dá acesso a diversas vias importantes, como os Eixos rodoviários Norte-Sul, W3 e L2.
Estamos construindo a terceira pista entre o Torto e o Colorado. Serão seis faixas, três em cada sentido e mais dez obras, entre pontes e viadutos. Teremos, por exemplo, três viadutos no balão do Torto, três próximos ao Colorado e também entradas para o Taquari”, afirma o diretor-geral do DER, Henrique Luduvice, que garante que a obra deve estar pronta até o início de 2018.
Fonte: Jornal de Brasília


Nenhum comentário:

Obrigado pela sugestão.

BOMBEIROS DF. Tecnologia do Blogger.