Header Ads

POLÍCIA DO BRASIL DE LUTO: ASSASSINATO CRUEL E COVARDE DE POLICIAL MILITAR

Por Poliglota
Ao serem acionados para atenderem uma ocorrência de perturbação da ordem pública, os policiais militares Sgt Uires e Soldado Hélio, da Polícia Militar de Goiás, não imaginavam no fim trágico que poderia ter essa ocorrência.
Filmada por moradores do local, as imagens são chocantes e mostram a crueldade e covardia de um elemento que aproveitou o momento em que o Sgt Uires tentava imobilizar um dos protagonistas da confusão e retirou sua arma do coldre disparando contra o policial vários tiros, levando-o a óbito no local.
Imediatamente, o soldado Hélio, seu companheiro, partiu em defesa do colega disparando contra o elemento, porém também foi ferido e encontra-se hospitalizado em estado grave, juntamente com mais outros dois feridos.
O comando da PMGO emitiu nota informando que iria abrir sindicância para apurar a conduta dos policiais durante a ocorrência, mas em nenhum momento fez qualquer menção à morte do Sgt Uires e ao estado grave que se encontra o soldado Hélio. O fato de um civil, mal elemento e premeditadamente ter praticado esse ato contra a guarnição, causou uma revolta a nível nacional nas corporações militares.
Todos os dias policiais são hostilizados, esculachados e difamados no exercício de seu dever legal, por uma sociedade omissa, crítica e injusta que amparada e municiada por uma imprensa sem escrúpulos que busca apenas audiência, julga e condena sem a ampla defesa e o contraditório, só pelo fato do envolvido ser policial, seja militar ou civil.
O policial quando assume seu turno de serviço só leva consigo uma missão: Manter a ordem pública e a paz social. Na concepção da sociedade, o policial é aquele que detém a mão que bate e não a que afaga como os professores, médicos e bombeiros militares. Mas a Lei tem e deve ser cumprida, sem distinção. Se elementos como esse dessa ocorrência não hesitam em respeitar as Leis, que arquem com os ônus. Bandido que atira em polícia não está enfrentando uma instituição, mas o Estado. Temos que endurecer as Leis.
Os comandos, omissos e obedientes a governos que acham que a polícia deve ser de GOVERNO e não de ESTADO, em vez de defender esses bravos heróis da sociedade são os primeiros a construir uma imagem negativa dando justificativas que na realidade não deveriam ser expostas, principalmente à mídia, abutres ávidos por notícias que vendam jornais. Apurar os fatos cabe à justiça e os julgamentos também à ela. A bem da verdade, abrir procedimentos apuratórios pode até legitimar a ação dos policiais envolvidos, e contra imagens não há contestações, mas sabe-se lá? Dizem que a justiça é cega!
Quantos mais deverão morrer para que os legisladores tomem uma providência firme em relação a isso? Morrer é um ciclo natural da vida, mas morrer pela sociedade, por aquele que sequer conhecemos, só é missão de um Policial Militar. A sociedade precisa entender isso.
Esperamos que isso nos traga novas visões. Que a justiça seja, efetivamente, feita e que nesse momento a maior dor é a perda de mais um pai de família que buscava, nada mais nada menos, manter a ordem pública, mesmo com o risco de sua própria vida. E a perdeu!

Í

Um comentário:

  1. Bárbaro, cruel e desnecessário.
    Indignação a uma sociedade que ainda pleiteia o porte de armas.
    Armas são para pessoas treinadas e capacitadas psicologicamente.
    Condolências à família e aos amigos

    ResponderExcluir

Obrigado pela sugestão.

BOMBEIROS DF. Tecnologia do Blogger.