TITULO

ABBP VAI COMPOR CONSELHO PERMANENTE DE COMUNICAÇÃO

   Acompanhando as tendências, dentro da nova realidade de comunicação, de fortalecer as diversas mídias hoje no mercado, as principais Associações e Movimentos de Comunicação do Distrito Federal se uniram e criaram o Conselho Permanente de Comunicação. Ele reúne todos os movimentos independentes e associações na categoria de mídias alternativas que “são os veículos que tem um contato mais direto com o público, adotando de forma transparente, mecanismos e critérios próprios de auto-regulamentação que sejam de conhecimento do público consumidor de informação.” A reunião de fundação do Conselho ocorreu na noite da última quinta-feira (2/2/2017), na sede da MCB, na Asa Sul.
Um dos objetivos da união das organizações que integram o Conselho Permanente de Comunicação é buscar uma melhor qualificação dos profissionais que atuam na mídia alternativa no Distrito Federal. Uma das ações é trazer as maiores tendências seguidas pela mídia no país e no mundo. A mídia impressa, no mundo, por exemplo, mudou drasticamente e a grande maioria dos veículos seguem experiências bem-sucedidas realizadas pelo The New York Times e o The Guardian que são inspirados e acompanham de perto as empresas de mídias digitais que estão aparecendo e crescendo.
Com o trabalho conjunto das diferentes mídias alternativas, em Brasília, o conteúdo jornalístico vai chegar mais diretamente a seu público-alvo buscando alcançar jovens e adultos que moram nas cidades e periferias e que são grandes consumidores de informação com telefones celulares, mobile, desktop e tablets.
O contexto de mídia hoje mostra crescimento na produção da informação, que vai triplicar nos próximos quatro anos, segundo pesquisas de entidades mundiais de comunicação. Terá ainda mais divisão do tempo entre os meios de comunicação (constante aumento) e as redes sociais (rápido crescimento), segundo afirma Earl J. Wilkinson, diretor executivo e CEO da INMA (International News Media Association). Ele diz que “a conexão mobile vai crescer 110% em dois anos, com aumento de 33% nas conexões móveis. ” Com isso, os veículos que, agora, buscam a unificação, passarão a ser também grandes produtores de conteúdo editorial.
Messenger e WhatsApp também são serviços que estarão em alta com alto fluxo de informações.
Associação Brasiliense de Blogueiros de Política (ABBP), Associação dos Veículos de Comunicação Comunitária do DF e Entorno (ASVECOM), Associação de Radiodifusão Comunitária do Distrito federal (ABRAÇO), Associação dos Ativistas Digitais do Distrito Federal (ASSAD), Movimento dos Produtores de Conteúdo (MPC), Movimento dos Comunicadores do Brasil (MCB), Movimento Independente de Novas Mídias (MI) e a Cooperativa de Jornais e Revistas Comunitários do Distrito Federal (COOPSARLEDF).
Sandro Gianelli ‘ABBP’         
“O principal objetivo do Conselho Permanente de Comunicação é unir todos os movimentos independentes e associações numa categoria. A partir de agora nós passamos a ser a categoria das mídias alternativas. Por que mídias alternativas? Porque existe uma lei, hoje, no Distrito Federal que, inclusive, tem sido copiada em outros estados que determina que o poder público tanto legislativo, como executivo, tem que destinar, no mínimo, 10% de suas publicidades para essas categorias. Então, nós estamos aqui sendo representadas por todas elas: Blogueiros, sites, portais, rádios comunitárias, jornais comunitários todos reunidos em torno desta nova categoria. ”

Fonte: Edgar Lisboa da Agência Digital News.

Nenhum comentário:

Obrigado pela sugestão.

BOMBEIROS DF. Tecnologia do Blogger.