TITULO

COMITÊ DE CRISE DO SOL NASCENTE TERÁ PLANTÃO DE 24 HORAS POR DIA

Por Cibele Moreira
O comitê de crise criado pelo governo de Brasília para mitigar os estragos no Sol Nascente, em Ceilândia, causados pelas fortes chuvas de quarta (1º) e de quinta-feira (2) traçou medidas emergenciais no fim da tarde de hoje (3) para prevenir novos incidentes na área.
Entre as ações estão o monitoramento permanente da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros Militar na região, o reforço do policiamento e a intensificação da coleta de lixo para evitar o carregamento de resíduos que atrapalhem o escoamento das águas pluviais.
A Defesa Civil fará um levantamento dos pontos de risco, e os locais mais críticos serão sinalizados. De acordo com o órgão, o comprometimento maior ocorreu em duas vias próximo da Chácara 125.
O comitê pede à população que evite sair de casa durante tempestades e transitar de carro nas ruas afetadas e que colabore com a limpeza urbana.
Fazem parte do grupo os seguintes órgãos:
  • Administração Regional de Ceilândia
  • Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb)
  • Corpo de Bombeiros Militar
  • Companhia Energética de Brasília (CEB)
  • Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap)
  • Companhia de Desenvolvimento Habitacional do DF (Codhab)
  • Defesa Civil
  • Polícia Militar
  • Secretaria das Cidades
  • Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos
  • Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos
  • Serviço de Limpeza Urbana (SLU)
Nesta manhã, representantes das secretarias e dos órgãos responsáveis pela infraestrutura e pelo apoio à região montaram uma força-tarefa e vistoriaram as principais áreas atingidas. De início, os trabalhos consistiram em limpar a sujeira, como lixo e lama, trazida pela chuva.
Atendimento a famílias
Nos dois dias de temporal, a Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos atendeu 14 famílias que tiveram as casas danificadas.
Para sete delas foi solicitado o benefício vulnerabilidade (até seis parcelas de R$ 400 por mês) e o excepcional — o aluguel social, de até 12 parcelas de R$ 600 mensais.
Uma casa foi demolida para dar mais segurança aos moradores ao redor. A Defesa Civil montou uma tenda para prestar os primeiros apoios às famílias. Essas pessoas estão em casas de parentes.
O Sol Nascente passa por amplo processo de urbanização. Desde 2015, o condomínio recebe asfalto, redes de águas pluviais e equipamentos públicos diversos. Segundo a Secretaria de Infraestrutura, cerca de 95 mil moradores serão beneficiados.

No Trecho 1, há obras de infraestrutura que englobam a conclusão de 25,2 quilômetros de redes de drenagem; cinco lagoas de detenção; e a pavimentação de 304,9 mil metros quadrados de vias, de 7 metros de largura, o equivalente a 44 quilômetros.
As intervenções no Trecho 2 compreendem a execução de 30,3 quilômetros de redes de drenagem, a construção de três lagoas de retenção, além da pavimentação de 493,5 mil metros quadrados de vias, o equivalente a 70 quilômetros de vias de 7 metros de largura.
No Trecho 3, o contrato prevê 21,3 quilômetros de redes de drenagem, três lagoas de retenção e 450,5 mil metros quadrados de pavimentação.
No total, são investidos R$ 220,3 milhões em benfeitorias no setor habitacional. Os recursos são originários da Caixa Econômica Federal (75%), com contrapartida do governo de Brasília (25%).
Fonte: Agência Brasília

Um comentário:

  1. Isso sim, é um trabalho de excelência perfeita escolha governador! Trabalhar com quem sabe! Maria de lourdes ícone em competência!

    ResponderExcluir

Obrigado pela sugestão.

BOMBEIROS DF. Tecnologia do Blogger.