QUEM É O PRÉ CANDIDATO A DISTRITAL GILSON DE ARAÚJO?

Por Sergio Loros
10 perguntas ao pré-candidato a Deputado Distrital Gilson Araújo!!!
1 – O senhor se sente à vontade em sua pré-candidatura a Deputado Distrital?
A mais de 4 anos tenho uma paixão que é esta realidade trabalhando na área Comunitária, lutando por moradia, emprego e Justiça por transformações sociais para o povo. O cargo de deputado distrital amplia as possibilidades de realizar muito mais, e portanto, sinto-me muito a vontade de ser pré-candidato a deputado distrital.
2 – O senhor foi o único Deputado Distrital até os dias de hoje eleito pelo Paranoá / Itapoã, o que o senhor acha desta situação depois de mais de 10 anos?
De 1984 a 1990, a comunidade do Paranoá me confiou ser um líder comunitário na Prefeitura Comunitária. Fundei a Associação Comercial, corrijo, fundamos a ACIP e numa época difícil, onde havia uma elite que governava o GDF, e o povo não tinha acesso, povo era povo ouvido com providência e tolerância aí o povo resolveu se unir com objetivos e pautas definidas, e na eleição de 1991 o povo me confiou e me credenciou o cargo de deputado distrital eleito, e junto com o povo em 1991 o Paranoá era chamado de invasão do Paranoá localizada onde hoje é o parque, e em 31 de Dezembro de 1994 em 4 anos, eu e o povo com poder na mão, deixamos para trás este nome de invasão e o Paranoá virou este Shopping que é hoje, com tudo próximo a cada casa. Em 4 anos o Paranoá ficou 100% pronto e o povo feliz com o líder deputado Gilson Araújo.
3 – Por que as cidades depois do senhor não conseguiram eleger nenhum candidato?
Depois de Gilson Araújo, nas eleições seguintes, houve muitas candidaturas entre nós no Paranoá, ficamos uma família dividida e em consequência, candidatos com poder econômico forte da área empresarial se ele e nós do Paranoá ficamos acéfalos, porque aí, o administrador do Paranoá vem de fora, sem conhecer a história do povo do Paranoá, que eram chamados de invasores. Só agora temos o Peixoto. Líderes desunidos povo vencido e sofrido.
4 – O senhor se acha um candidato oportunista e porque hoje se coloca como candidato?
O senador Álvaro Dias junto a Eliana Pedrosa e o ex-deputado distrital meu amigo Zé Edmar são do partido PODEMOS e tem uma proposta pelo PODEMOS para tirar o DF deste cruel momento que passa Brasília. É uma plataforma de verdade, sem mentiras, por que somos de raízes Rorizistas e Arrudistas no aspecto de competência na governança. O PODEMOS me convidou para este megaprojeto de resgate, eu refleti, pedi a Deus licença e aceitei o convite. Portanto não sou oportunista, pois tenho cheiro de povo, tenho perfil de povo, não sou elite. Fui convidado por 2 amigos fieis que são Eliana Pedrosa e Zé Edmar para uma causa nobre. Portanto não sou e jamais serei oportunista, porém nós vamos surpreender o Paranoá e o Itapoã, o povo será muito feliz como pré-candidatos, terão opção de votar em quem jamais trairão o povo. Escreva, confie e cobre de nós, sejamos eleitos.
5 – Como o senhor vê os candidatos que irão disputar com senhor nesta região e qual adificuldade deles para nunca terem sido eleitos?
O Paranoá deverá ser visitado por mais de 100 pré-candidatos a distrital em 2018. E também candidatos vinculados anos desta comunidade, acho normal e o Paranoá avaliará os que estão capacitados como sempre tem ocorrido. O poder econômico poderá tirar mais uma vez e levar votos do Paranoá e ficarmos sem mais uma vez sem eleger ninguém. Eu estou preparado para corresponder à confiança, pois desde 1982 estou junto com o povo, o Paranoá, de 1991 a 1994, de invasão para Shopping a céu aberto.
6 – Quais foram seus projetos aprovados na CLDF?
Na Câmara Legislativa do DF os distritais trabalham com projetos de leis, projetos de indicações e ações. Citarei aqui leis de maiores repercussões:
  • Lei 187/91 para construção da 3ª Ponte (Hoje Ponte JK)
  • Lei 204/91 que fixou e criou a Administração da Agrovila São Sebastião, transformando-a em cidade satélite de São Sebastião.
7 – Quais foram seus projetos na CLDF?
  • Projetos de Leis:
  • PL 729/93 – Disciplina o registro e o cancelamento de nomes do SPC e congêneres do DF. Assinado pelo governador Roriz, virou Lei 514/93 que está em vigor.
  • PL 241/91 – Autoriza o GDF a regularizar Condomínios e/ ou loteamentos em áreas urbanas e rurais.
  • PL 854/93 – Autoriza o GDF a colocar equipamentos públicos nos condomínios ou loteamentos implantados no GDF.
  • PL 660/92 – Estabelece normas para distribuição de lotes a pessoas não cadastradas nos programas de assentamento de população de baixa renda.
  • PL 560/92 – Torna obrigatório o tratamento e internação, pelo GDF, de portadores do vírus da Aids, e autoriza a criação da Casa de Apoio.
  • PL 350/94 – Estende aos servidores do GDF que não tenham pleiteado na justiça, os benefícios decorrentes de planos econômicos do governo federal que já tenham sido pagos, por decisão judicial.
  • PL 355/94 – Estabelece prazo mínimo para a substituição de livros didáticos nas escolas do DF, de 5 anos no 1º grau e 3q anos no 2º grau. Sancionado pelo governador Roriz, transformou-se na Lei 737/94 que está em vigor.
  • E outras tantas indicações e participações nas PLs.
 8 – Quais são seus projetos para estas regiões?
O Paranoá, hoje, precisa ser revitalizado e repensado com a população, porque o Paranoá é um Shopping, onde todos equipamentos públicos como Hospitais, Bancos, Fórum, tem de estar próximos as moradias. O Itapoã precisa ser todo revitalizado e melhorado com equipamentos públicos. A região precisa de uma 5ª Ponte para substituir a Barragem e evitar que carretas venham provocar um colapso soltando a água do Lago. O balão do Paranoá / Itapoã precisa ser transformado em viadutos e as pistas duplicadas. O sistema de transporte público precisa de um estudo de viabilidade e soluções imediatas para área, com também emprego e renda, ocupação para os jovens, cursos profissionalizantes.
9 – O que o senhor vê que se pode fazer para a vida do cidadão do Paranoá / Itapoã melhorar?
Realizar um debate permanente sob o que a população deseja, para construção de uma vida saudável, de paz, felicidade e prosperidade. Isto só poderá ocorrer com atenção e respeito do governo ouvindo e atendendo o povo, junto com seus parlamentares se possível da região.
10 – Quais seus projetos para o distrito Federal?
Temos que priorizar urgente com ações do executivo a situação da mobilidade com hospitais, educação, segurança, assistência social e trabalho. O DF hoje há uma intensa indignação do povo contra o governo e aos parlamentares e faz com o descaso do governo e no parlamento nascer ainda mais o ódio e a revolta. É prioridade ouvir o povo, é preciso que o povo dê uma oportunidade ao próximo parlamento e ajude a transformar o DF em um canteiro de obras e reduzir o desemprego.
11- Como o senhor vê hoje a CLDF depois de tanto tempo afastado?
A CLDF, jamais terá uma Câmara tão idealista, sonhadora, coletiva como os deputados do período de 1991 a 1994. Havia um sonho daqueles deputados de 1991 a 1994 de tornar a CLDF um modelo a ser copiado para todo Brasil no aspecto de cistos, sem escândalos, mas, há uma esperança que os próximos eleitos sejam sensíveis e se inspirem em exemplos como os deputados da Suíça / Europa. Um deputado distrital deveria ter salário (subsídio) no máximo o salário teto do professor da FEDF, e reduzir para a metade a verba de gabinete. A Câmara Legislativa do Df deverá ser repensada e se voltar para uma nova ordem política do DF, ouvindo o povo, e o povo se orgulhando dos seus distritais com motivação e emoção.



Nenhum comentário:

Obrigado pela sugestão.

BOMBEIROS DF. Tecnologia do Blogger.