PAI E FILHA MORREM EM ACIDENTE EM VIA DE ACESSO À L2 NORTE

Por Bruna Lima / Ingrid Soares
Um acidente grave deixou pai e filha mortos, na noite desta sexta-feira (13/4). Trata-se de uma colisão envolvendo um carro e uma moto, na pista que liga a L4 ao início da L2 Norte. Ainda não se sabe o que motivou a batida.
O Corpo de Bombeiros (CBMDF) foi acionado às 18h38. Na moto, estava o condutor, Juvenal Junior Azevedo, 40 anos, e a filha, Milena, de 15. Ele chegou a ser atendido pela equipe médica e recebeu massagem cardíaca por aproximadamente 55 minutos, mas não resistiu. A menina morreu antes da chegada do socorro. A motorista do carro, Raíssa Lippi Ribeiro, 19, não se feriu.
Raíssa contou que estava indo para a faculdade quando o acidente aconteceu. "Eu estava na velocidade da via, normal. A moto apareceu de repente na minha frente, eu não vi nada, só senti o impacto", relatou. A motorista colidiu com a traseira da moto, fazendo com que as vítimas fossem arremessadas a mais de 50 metros. Raíssa foi submetida ao teste do bafômetro, que deu negativo para a ingestão de álcool.

Parentes das vítimas compareceram ao local. Eles contaram que Juvenal era o mais velho de cinco irmãos e morava no Itapoã com a filha, a mulher e uma criança de 2 anos. Natural de Bonfinópolis de Minas (MG), o motociclista se mudou para o DF há mais de uma década. Todos os dias, ele buscava a adolescente em um colégio público na Asa Norte e iam para casa.
A mulher do condutor ficou sabendo do acidente pelo jornal, quando reconheceu a jaqueta do marido. Abalada, ela não foi ao local. Irmã de Juvenal, Alice Azevedo, 34, conta que ele era muito querido por todos. "Não dá para acreditar nessa tragédia. Tive que ver com meus olhos. Não sei como dar a notícia para a nossa mãe, ela tem 60 anos e é hipertensa. O filho era muito apegado. Não sei o que vai ser da família agora", diz. Questionada sobre a sobrinha, Alice contou, emocionada: "Milena era estudiosa, obediente e sonhava em fazer intercâmbio".
O compadre, Valdemir Sobreira de Aragão, foi até o local a pedido da mulher e mãe das vítimas. "Ele era uma pessoa muito boa, católica e estava terminando de construir uma casa, estava fazendo surpresa para a família", disse.

Por telefone, Daniel França, o advogado da família, disse que vai aguardar o resultado da perícia. "O laudo deve ficar pronto em 30 dias. A partir daí vamos avaliar a responsabilidade da motorista e tomar as medidas cabíveis", disse.
A Polícia Militar isolou três faixas, deixando apenas uma disponível para a passagem dos carros. A Polícia Civil realizou perícia no local.
Fonte: Correio Braziliense
Leia também: MOTOCICLISTA FICA FERIDO APÓS COLIDIR COM CARRO NO PARANOÁ


11 comentários:

  1. trânsito no DF ta um inferno, aposto que essa maluca tava voando com o carro e mexendo no celuar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. a perícia ainda não sabe detalhes do acidente, porém "julgadores" inaptos apontam e crucificam a condutora do carro como sendo a culpada.
      mera asneira.

      Excluir
  2. Não estou falando que pode ter sido isto o motivo do acidente, mas vejo muitos motoristas dirigindo e usando o celular e também andando a noite com os faróis desligado.

    ResponderExcluir
  3. Velocidade da via? O carro ficou totalmente arrebentado.
    Sem fazer insinuações, mas acho que tem cheiro de uso de celular.

    ResponderExcluir
  4. Vejo gente julgando o motorista, sinceramente nem sempre é culpa do motorista...Ela(motorista) só tem 19 anos e para lidar com isso vai ser complicado, se sintir culpada por um acidente! Se ela estava sim ou não no celular só ela pode dizer! Não julgue uma pessoa sem saber da história verdadeira!
    Meus pêsames a família do motociclista e da filha dele, realmente foi uma tragédia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Se ela estava sim ou não no celular só ela pode dizer!" Não mesmo... aí é claro que ela vai dizer que não estava no celular! Neste caso, a policia pode quebrar o sigilo telefonico dela e saber a verdade.

      Excluir
  5. A Milena tinha um futuro lindo pela frente, vamos sentir saudades, querida. Você e seu pai não mereciam...

    ResponderExcluir
  6. Como as pessoas julgam sem saber..fatalidade acontecem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora tudo é fatalidade. Imprudencia, irresponsabilidade, negligencia, impericia, tudo virou fatalidade.... desculpa esfarrapada!

      Excluir
  7. Não podemos julgar sem saber realmente o que aconteceu pode ser que a motorista estivesse mexendo realmente no celular porque infelismente celular virou praga . Mas nao podemos esquecer que muito motoqueiro que tb nao dirige com os devidos cuidados , sou motoqueiros e vejo o que muitos deles aprontam por aí.Então antes de julgar vamos esperar o resultado da perícia . pode ate ser que todos estavam certos e que só foi uma fatalidade mesmo.pois quando chega o dia de cada um não tem desculpas vamos morrer e pronto .

    ResponderExcluir
  8. Pela frieza da motorista ela talvez etivesse drogada. E baixa velocidade não deixaria o carro naquele estado

    ResponderExcluir

Obrigado pela sugestão.

BOMBEIROS DF. Tecnologia do Blogger.