.

IBANEIS REDUZ 6 MIL CARGOS COMISSIONADOS NO GDF


O número de funcionários sem concurso público no GDF caiu de 16,2 mil, em dezembro, para 10 mil em janeiro. No entanto, dados de fevereiro, quando houve uma série de nomeações, ainda não estão disponíveis
Por Alexandre de Paula
Ao menos no primeiro mês de mandato, o governador Ibaneis Rocha (MDB) colocou em prática um dos compromissos feitos durante a campanha: a redução de cargos comissionados na estrutura do GDF. A promessa foi reforçada no período de transição e, de acordo com dados do Portal da Transparência, se efetivou no início do governo. Em relação a dezembro de 2018, houve um corte de mais de 6 mil cargos comissionados em janeiro.
A redução representou queda de 38,5% em janeiro, em relação ao mês anterior. O GDF tem disponíveis 17.461 cargos comissionados. Em dezembro, 16.249 deles estavam ocupados. No mês seguinte, o número caiu para 10.052. Com as mudanças, ficaram vagas, no primeiro mês de governo, 7.409 posições contra 1.204, em dezembro.
Os números não representam a estrutura atual do GDF, pois não estão disponíveis os dados relativos aos comissionados nomeados e mantidos em fevereiro, quando o Diário Oficial publicou uma série de nomeações. É possível, portanto, que a máquina tenha um número maior de cargos ocupados. O Correio questionou o Executivo sobre o impacto econômico proporcionado pela redução e quais os números referentes a fevereiro. Até o fechamento desta edição, no entanto, não houve resposta.
Uma das explicações para a redução drástica no primeiro mês foi a opção do governador por assinar um decreto exonerando todos os comissionados. A medida é comum em início de mandatos e permite ao eleito reestruturar completamente o quadro de funcionários comissionados. Em alguns casos, porém, a mudança traz desafios aos órgãos e entidades, que precisam operar com menos servidores até que a recomposição seja efetivada.
Durante a campanha, Ibaneis bateu na tecla de que havia inchaço na quantidade de comissionados do quadro do GDF. O então candidato defendeu a contratação de servidores concursados para ocupar funções prioritárias e o corte de cargos com alterações nas estruturas dos órgãos para permitir um número menor de servidores.
Leia também: PARANOÁ RECEBE FORÇA TAREFA DE COMBATE AO AEDES AEGYPTI

Um comentário:

  1. Eu acho que o governador deveria ajudar o próximo dano inprego não tirando porque cunpri o que ele fala ele não faz

    ResponderExcluir

Obrigado pela sugestão.

BOMBEIROS DF. Tecnologia do Blogger.