AMBULATÓRIO DO HRAN IMUNIZA E ORIENTA VIAJANTES BRASILIENSES


Somente no primeiro semestre deste ano, cerca de 480 usuários foram atendidos na unidade hospitalar, única a fornecer todo tipo de vacina.
Cidade que registra aumento da procura como destino turístico, Brasília também investe no cidadão que vai viajar. O Ambulatório do Viajante, serviço oferecido pela rede pública de saúde local, funciona com exclusividade no Hospital Regional da Asa Norte (Hran) para atender à demanda – que, normalmente, aumenta nas férias escolares. Quem deseja fazer uma viagem internacional e precisa ser vacinado pode contar com esse serviço. Além de fornecer todo tipo de vacina, a unidade orienta as pessoas que vão para regiões com incidência de doenças infectocontagiosas.
As orientações são no sentido do que a pessoa vai fazer na viagem em termos de alimentação, vacinação, e como se encontra o país para onde vai”, explica o chefe do Núcleo Hospitalar Epidemiológico, Carlos Vaugrand, responsável pelo Ambulatório do Viajante. “Quando perguntamos o destino da pessoa, já a imunizamos e informamos como está a situação por lá”.
Criado em outubro de 2010, o espaço atende a uma média de quatro pessoas por dia. No primeiro semestre deste ano, cerca de 480 usuários passaram pela unidade. Um deles foi o pesquisador Erich Wolff, 29 anos, que precisa viajar à Colômbia. No Hran, ele foi imunizado com a tríplice viral.
Como precisava de um atendimento voltado à malária, procurei o ambulatório”, conta. “Fiquei sabendo do serviço no Hran em um posto de saúde. O atendimento foi pontual e me informaram tudo sobre como está a situação na Colômbia em relação a essa doença”.
Doenças transmissíveis
Atuando no Ambulatório do Viajante, o médico epidemiologista Luiz Fernando Carvalho conversa com os usuários sobre os riscos epidemiológicos do local de destino. De acordo com ele, além dos viajantes que vão para o exterior, os que buscam áreas remotas do Brasil também podem ser atendidos na unidade.
São pessoas que vão para a área amazônica, territórios indígenas e fronteiras, mas, normalmente, são os viajantes internacionais”, pontua. “O objetivo principal é evitar que adoeçam e, consequentemente, que introduzam doenças já controladas no país. O foco são as doenças transmissíveis.” A maior procura atual tem sido pela prevenção ao sarampo, que, nos últimos tempos, se tornou uma epidemia global, presente até mesmo em países considerados desenvolvidos.
Nem todos precisam de imunização. A necessidade depende de quais vacinas já foram tomadas pelo paciente e do destino da viagem. Também são prescritas medicações profiláticas, que atuam como medida preventiva de enfermidades, para doenças como dengue e leishmaniose.
Antecedência
Os viajantes devem ser atendidos com antecedência mínima de quatro semanas antes da viagem. Isso porque o organismo precisa de um tempo para produzir resposta imunológica para a maioria das vacinas.
Atualmente, a vacina que previne contra febre amarela é a única obrigatória para entrar em países da África, da América do Sul, do Caribe e de algumas regiões da Ásia. Em tais destinos, é exigido o Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia.
O documento é retirado nos Centros de Orientação ao Viajante da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), mediante cartão que comprove a dose contra a febre amarela e um documento de identidade oficial com foto.
SERVIÇO
Ambulatório do Viajante / Serviço gratuito
Local: Hospital Regional da Asa Norte – Setor Médico-Hospitalar Norte, quadra 101
Horário: De segunda a sexta-feira, das 7h às 11h; às terças e quintas-feiras, também das 14h às 17h
Agendamento: telefones 2017-1900/7213/7214. Para atendimento presencial, é necessário levar à consulta o cartão de vacina e um documento de identidade, a fim de obter encaixe no atendimento. Mais informações no site da Secretaria de Saúde: http://www.saude.df.gov.br
Com informações da Secretaria de Saúde

Nenhum comentário:

Obrigado pela sugestão.

BOMBEIROS DF. Tecnologia do Blogger.