IBANEIS RECEBE PROPOSTA DE RAJUSTE DE PMs E BMs. VEJA O SOLDO

Por Francisco Dutra
O governador Ibaneis Rocha (MDB) recebeu, nesta segunda-feira (14/10/2019), a proposta de reajuste salarial da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal. A minuta foi redigida por associações militares e parlamentares do DF no Congresso Nacional, prevendo recomposição salarial de 37,5% em quatro parcelas anuais, com incorporação do auxílio-moradia ao soldo. O emedebista, agora, avalia se a encaminha ou não ao Palácio do Planalto. O impacto do aumento é de R$ 2 bilhões, entre 2019 e 2022.
O chefe do Executivo local pretende mandar a proposta para avaliação da Secretaria de Segurança e do Ministério da Economia. Com a recomposição das Forças de Segurança, incluindo a Polícia Civil, o governador também deseja regulamentar a aplicação do Fundo Constitucional do DF (FCDF), para evitar novos atritos com o Tribunal de Contas da União (TCU) e outras instituições quanto à aplicação dos recursos. Todos os movimentos dependem de medida provisória do governo de Jair Bolsonaro (PSL).
“Nós estamos, há dois meses, trabalhando junto à Presidência da República a questão da regulamentação do Fundo Constitucional para nos dar segurança no que diz respeito ao reajuste tanto da Polícia Civil como da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros. Mas a nossa intenção é concluir isso no menor prazo possível”, assinalou Ibaneis Rocha.
“Tudo para que possamos encaminhar ao presidente da República e ao Congresso Nacional, posteriormente, a partir da análise da Presidência, e solucionar toda essa questão do reajuste. Ele é mais do que merecido para todos os profissionais, que já estão há vários anos sem ter qualquer espécie de reajuste”, frisou o titular do Palácio do Buriti.
Fazendo as contas
Segundo o senador Izalci Lucas (PSDB), que levou a proposta a Ibaneis, a correção anual natural do FCDF garante as condições financeiras para os aumentos das Forças de Segurança. Pelas contas do parlamentar, o fundo terá aumento de R$ 1,4 bilhão em 2020; R$ 928 milhões no ano seguinte; R$ 983 milhões em 2022; e R$ 1 bilhão em 2023.
“A proposta também prevê a equiparação dos militares com algumas carreiras da Polícia Civil, como é o caso de coronéis e delegados. Há uma certa simetria”, pontuou.
O impacto do reajuste das corporações militares será de R$ 465.473.043,90 em 2019. Para o ano seguinte, terá o peso de R$ 853.795.908,48. Em 2021, a previsão é de R$ 314.345.448,48. Por fim, em 2022, o reajuste alcançará o custo de R$ 451.274.395,91. No caso específico da PM, a recomposição vai responder por R$ 1.456.038.509,52. E para o Corpo de Bombeiros Militar, a repercussão estará no patamar de R$ 628.880.287,26.
O tucano se mostrou sensível com a preocupação do governador sobre a instabilidade nas interpretações do uso do FCDF. Assim, sinalizou que vai trabalhar com o Palácio do Buriti para a aprovação de medida provisória a fim de blindar as contas de Brasília. O senador pretende reunir-se com o Palácio do Planalto para conversar sobre os dois temas.
Os vencimentos dos militares recebem adicionais, que podem fazer o contracheque superar o valor inicial.
Confira as sugestões de recomposição exclusivamente do soldo da PM e do Corpo de Bombeiros (em R$):

Fonte: Metropóles

Um comentário:

  1. CFSD PMDF - 199515/10/2019 09:41

    Pelo que vi da tabela, fiquei na dúvida se vai haver a eliminação de mais alguma gratificação além do auxílio moradia, que será incorporado ao soldo, ou, se mais alguma rubrica será incorporada ao soldo!?

    ResponderExcluir

Obrigado pela sugestão.

BOMBEIROS DF. Tecnologia do Blogger.