PM FEDERALIZADA. ATRIBUIÇÕES DAS POLÍCIAS MILITARES PODEM SER TRANSFERIDAS PARA A UNIÃO


Por Toni Duarte
A possibilidade de federalizar as polícias militares de todo o país tem ganhado força dentro e fora dos quartéis. O movimento de policiais amotinados no Ceará, que se encontra no nono dia de paralisação, fez crescer o debate. O presidente da República, Jair Bolsonaro, acredita que seja essa a solução.
Um projeto de lei gestado no Palácio do Planalto, que altera regimentos das PMs e Bombeiros, em vigor desde 1983, prever a federalização das polícias, que hoje são estaduais.
Os governadores são contra a proposta porque perderiam o controle das forças estaduais constituídas pela Polícia Militar, Polícia Civil e pelo Corpo de Bombeiros.
As reivindicações dos policiais militares por melhores salários são justas, no entanto, quase sempre ignorada pela maioria dos governadores.
Mas o problema é bem maior do que isso. Por anos, políticos oportunistas têm tirado proveito eleitoral de uma tropa que a cada eleição acredita que dessa forma terá voz para reivindicar os seus direitos. A PM sempre foi usada por PMs políticos e por políticos não PMs.
A hierarquia e a disciplina, principais pilares da Polícia Militar, além da dureza do código disciplinar penal dos militares foram desafiados pela tropa militar cearense que resolveu usar as redes sociais como o seu principal canal de comunicação com a sociedade e de organização do movimento paredista.
Os policiais amotinados do Ceará irromperam um movimento que pegou de surpresa o seu comandante supremo, o governador petista Camilo Santana.
Apesar de o Brasil ser o país que mais mata seus policiais em serviço, o Congresso Nacional não para de criar leis que protegem bandidos e pune o policial.
Em 2016, 437 policiais civis e militares foram mortos no país em confrontos ou fora do serviço, um aumento de 17% em relação ao ano anterior, segundo o Anuário Brasileiro de Segurança Pública.
Em 2016 e 2017 a família militar cearense chorou e enterrou seus mortos. Morreram mais policiais militares e civis no Ceará do que em outros estados nos referidos anos.
Em 2018 e 2019 estados como o Rio de Janeiro e São Paulo a matança de PMs foi bem maior.
Nos últimos tempos a imprensa convencional brasileira, controlada pela esquerda, tem demonizado a polícia na guerra contra o tráfico de armas e drogas no Rio de Janeiro.
Essa mesma imprensa faz a população crer que toda bala perdida, que atinge um inocente, foi disparada pelo policial e nunca pelo bandido.
Uma escola de samba do Rio mostrou um jesus  furado de balas que seriam da policia militar. No carnaval da Bahia a PM também foi satirizada.
Esse sentimento de revolta e desprestigio cobrem como em nuvem as tropas estaduais brasileiras.
O presidente da Associação dos Militares Estaduais do Brasil (AMEBRASIL), Wellington Cursino, em conversa com o Radar-DF, disse não ver como solução do problema a federalização das polícias, apesar de a maioria dos governadores do Nordeste manter as suas polícias para servir ao Governo e não para servir ao Estado.
Apesar de condenar movimentos grevistas por parte da Polícia Militar, Wellington Cursino, que é coronel aposentado da PMDF, sustenta que há um sentimento de revolta represado dentro dos quartéis que precisa ser urgentemente debelado com política de valorização do policial militar e de todas as outras forças de segurança.
Na visão dele, se não ocorrer isso a curto prazo, o Brasil pode viver um quadro de convulsão social.
Fonte: Radar DF

11 comentários:

  1. Se os governos estaduais não tem competência, nem seriedade e nem respeito com os policias, que seja feito a federalização. Assim sendo, será mais um golpe nessa esquerda suja e oportunista. Basta dessa bagunça que transformaram meu Brasil!!

    ResponderExcluir
  2. Demoro vamos deixar de ser massas dê manobra desses governo filadaputa

    ResponderExcluir
  3. um dos motivos de ter votado em Jair Messias Bolsonaro, foi em acreditar q Ele, iria melhorar em todo o seu teor as forcas de seguranca, mas, ele estar demorando demais, sei q vai precisar do apoio dessa porcaria q se chama parlamento, congresso, e outras ralé, mas o presidente tem q agir rapido e agora, para proteger as forca de segurancas, pois o povo de bem nao suporta mais. a corda estar arrebentando.

    ResponderExcluir
  4. FEDERALIZACAO É A SOLUCAO!

    ResponderExcluir
  5. Os governadores usam os militares para mando e desmando depois jogam na mídia para serem crucificados de todas as formas.
    Velho ditado os loiros à gloria do chefe. Deu errado punição exemplar.

    ResponderExcluir
  6. Duvido passar. Seria um sonho. Mas estes FDP querem manipular tudo. SOMOS MASSA DE MANOBRA

    ResponderExcluir
  7. Os policiais e Bombeiros sempre são enganados pelos seus governadores com promessas mentirosas,entra governo e sai governo é a mesma coisa, à defasagem salarial é à principal reivindicação! (Socorro governo federal)

    ResponderExcluir
  8. Na minha humilde opinião acho que o grande problema da PM é o MILITARISMO que muitos superiores hierárquicos se aproveitam e sempre com interesse pessoal, hj dentro da PM existe muito abuso que reflete na prestação de serviço pra com a sociedade, que é a que perde mais com tudo isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente é o militarismo e o código penal militar que segura a onda , pq devido a desvalorização dos militares em quase todos os estados , se os policiais tivessem direito a greve como os trabalhadores civis o Brasil já teria entrado em colapso.

      Excluir

Obrigado pela sugestão.

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
BOMBEIROS DF. Tecnologia do Blogger.