CHINA PEDE APOIO DA ONU PARA REINVENTAR (CONTROLAR) A INTERNET MUNDIAL

Por Patrícia Carvalho
Chineses defendem na ONU mudanças que permitiriam o desenvolvimento de novas tecnologias. Chamada de “Novo IP”, a proposta é criticada por países ocidentais que temem maior controle estatal e “desligamento” parcial ou total da rede.
Em proposta enviada à ONU, a China sugere uma mudança radical no modo como a internet funciona.
De acordo com os chineses, a configuração atual da rede não é viável para novas tecnologias como carros autônomos e comunicação por hologramas.
Já os países ocidentais como a Suíça, o Reino Unido e os EUA são críticos à proposta por permitir autoritarismos e controles estatais sobre a Internet.
Lideradas pela Huawei, uma série de empresas e indústrias estatais chinesas defendem o chamado “Novo IP”.
Para esses desenvolvedores o modelo atual da Internet é instável, “imensamente insuficiente” e os países da ONU devem adotar uma “visão de longo prazo” reformulando o modelo mais livre da Internet atual.
Um dos delegados do Reino Unido afirmou: Temos essas duas visões concorrentes: uma que é muito livre e aberta e. . . fora das mãos do governo. . . e uma que é muito mais controlada e regulamentada pelos governos.
A Huawei por sua vez diz que o desenvolvimento do Novo IP atende exclusivamente a questões técnicas e ao aperfeiçoamento da tecnologia de dados.
Qualquer pesquisador ou desenvolvedor pode colaborar ou acompanhar o desenvolvimento do Novo IP, segundo a empresa, e os primeiros testes devem ocorrer no início de 2021.
Em artigo recente, membros da Oxford Information Labs, que também são conselheiros de telecomunicações do Reino Unido na ONU, afirmam que o Novo IP chinês permitirá grandes controles nas redes e a possível violação de privacidade e direitos humanos de usuários comuns.
Uma das principais polêmicas na nova internet chinesa seria um comando central de “desligamento” da rede, proibindo comunicações de ou para um endereço IP em específico, ou vários.
Rússia e Arábia Saudita apoiaram a proposta chinesa.
Fonte: Diário do Brasil

Postar um comentário

1 Comentários

  1. China mostrando a sua cara e claro o governo russo aprova, cômico se não aceitasse . Boa tarde sem mais comentários

    ResponderExcluir

Obrigado pela sugestão.