APÓS W3 SUL PARANOÁ GANHARÁ RUA DO LAZER AOS DOMINGOS E FERIADOS

Os moradores do Paranoá terão mais uma opção para praticar atividades esportivas e recreativas ao ar livre. Assim como o Eixão do Lazer e a W3 Sul, a avenida principal da região, de 1.100 metros – que liga a cidade ao programa habitacional Paranoá Parque –, será interditada aos domingos e feriados, das 7h às 17h, para que a população possa fazer caminhadas, corridas ou andar de bicicleta. A medida está detalhada no Decreto nº 40.911 e tem como objetivo incentivar os moradores da cidade a praticarem exercício físico, sem aglomeração.
Segundo o administrador regional do Paranoá, Sérgio Damasceno, há uma pista de atletismo na cidade. “Porém, as pessoas estão fazendo aglomerações na pista. Nos fins de semana e feriados o trânsito aqui é bem menor”, explica. “Os moradores são carentes desse tipo de espaço, então com certeza vão adorar”, garante. 
Damasceno reforça que a via é distante tanto das casas quanto dos apartamentos do Paranoá Parque. “Ou seja, não vai gerar aglomeração ou atrapalhar a comunidade. Há pistas alternativas, então a questão do trânsito também não será um problema”, garante. A ação, de acordo com Damasceno, terá o apoio do Departamento de Trânsito do DF (Detran-DF), Polícia Militar do DF (PMDF) e do Corpo de Bombeiros do DF (CBMDF). 
O local passará por limpeza reforçada, em parceria com o Serviço de Limpeza Urbana (SLU), e manutenção de calçadas e meios-fios. Após a pandemia do novo coronavírus, o administrador estuda movimentar a ação com apoio de educadores físicos e nutricionistas. O objetivo é auxiliar a população a praticar exercício físico e melhorar a alimentação.  
Moradores aprovam
A psicóloga Lecilene Santana, 50 anos, faz caminhada com o marido todos os dias pela região, durante a manhã ou no final da tarde. Ela  comemora a ideia do governo local. “É uma excelente proposta. Motiva a gente a fazer exercício e com segurança, já que não haverá  carros na pista”, comenta Lecilene, que mora desde criança no Paranoá.
Marido de Lecilene, Sebastião Oliveira, 56 anos, também apoia o projeto. “Andamos de bicicleta, então será mais uma opção segura para nós. Meu neto tem 14 anos e costuma andar de skate por aqui. Ficamos preocupados por causa do trânsito, mas se fechar será maravilhoso”, opina o aposentado.  
Democratização do esporte  
A ideia, segundo a secretária de Esporte e Lazer, Celina Leão, é levar o projeto para outras cidades. “Vamos ampliar essas ruas de lazer de forma permanente, com anuência dos administradores que têm buscado a secretaria. Vamos democratizar o esporte em todas as cidades do DF”, explica. Um decreto sobre o tema deve ser publicado em breve, segundo a chefe da pasta.

Postar um comentário

0 Comentários