“NÃO PODEMOS CRITICAR A CHINA”. DIZ DIRETOR DA OMS

Por Olivier
Tedros Adhanom considera que o totalitarismo chinês jamais falsificaria dados, só o Ocidente tem fake news
Não é de hoje que as relações da China com a OMS tem interesses acima da saúde da população mundial.
Também é sabido que qualquer crítica à ditadura do Partido Comunista Chinês, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, Tedros Adhanom Ghebreyesus, saí em defesa de seu aliado asiático sem demora.
Foi o que aconteceu na tarde ontem, 25, durante uma coletiva de imprensa em que Tedros afirmou que a ditadura de Xi Jiping só merece elogios na condução da pandemia:
“Não podemos criticar a China e dizer que eles não reagiram a tempo porque com o que podemos comparar isso? Não existiam outras informações antes daquelas da China. As medidas introduzidas em Wuhan eram muito boas e fortes e eles identificaram o vírus e compartilharam imediatamente a sequência.”
Confiar em dados de ditaduras é o método cientifico da OMS.
Fonte: Senso Incomum

Postar um comentário

1 Comentários

  1. A China é podre! Mata pessoas, como a igreja católica matava na Inquisição e mente para o mundo! É só olhar para a cara desse ditador chinês falso e cara de pau!

    ResponderExcluir

Obrigado pela sugestão.