O “TIRO” QUE BOLSONARO NÃO PODE ERRAR

Por Guillermo Frederico
Já chegamos ao ponto da “escolha de Sofia” no Brasil, onde devemos ir atrás apenas da prioridade que temos que valorizar. 
E atualmente essa prioridade é o Presidente nomear o próximo ministro do STF, em novembro próximo. 
O Presidente chegará até novembro; não tem como derrubá-lo. Na verdade, ele cumprirá todo o mandato. Todos sabem disso. 
A questão é apenas “como” ele cumprirá o prazo que lhe resta, e em que condições. 
Por isso que Bolsonaro, quando nomear o sucessor de Celso de Mello, não pode errar o tiro. 
Colocar alguém medíocre, ou fraco, para o STF, será o maior desperdício de munição de toda a história. 
O Direito que a Suprema Corte aplica hoje é “adaptável” às circunstâncias, alterado de acordo com os interesses do ministro. Por isso que tem que ser alguém que tenha o próprio entendimento, que conheça bem a Constituição, com ideias fortes e contundentes. 
Portanto, se o Presidente da República indicar um dos seus 3 “conselheiros jurídicos” para a vaga estará cavando a sepultura do seu Governo, e relegando todos nós à desesperança com dias melhores. 
A indicação do ministro do STF é o único erro que Jair Bolsonaro não tem o direito de cometer.
Fonte: JCO

Postar um comentário

5 Comentários

  1. Concordo plenamente,só q infelizmente ñ vejo o none bem preparado se o Moro ñ tivesse sido tão covarde apostaria nele

    ResponderExcluir
  2. Pois é. E quem poderá então assumir? Só acho que andorinha sozinha não faz verão. Quantos ministros foram ameaçados de morte e fugiram do País ou até quantos foram mortos por não seguirem a cartilha deles?

    ResponderExcluir
  3. Deve colocar um Bacharel em direito!

    ResponderExcluir
  4. DEUS QUEIRA...EM NOME DE JESUS QUE ESSE PALHAÇO VAIDOSO NOJENTO FARISEU HIPÓCRITA SAIA UDO GOVERNO, ESTÁ LOUCO

    ResponderExcluir

Obrigado pela sugestão.