TRATAMENTO DA CHINA A MUÇULMANOS SE COMPARA A ALEMANHA NAZISTA

Vídeo gravado em 2018 mostra a verdadeira China.
O ministro das Relações Exteriores da Austrália e membros da comunidade uigures condenaram um vídeo "profundamente perturbador" e "horrível" de uigures em Xinjiang, na China, que apareceu online.
As imagens supostamente mostram dezenas de homens uigures - suas cabeças recém-raspadas - de olhos vendados, com as mãos amarradas nas costas durante uma transferência em massa em uma estação de trem na região noroeste da China.
O vídeo, postado no YouTube na semana passada anonimamente pela War on Fear, foi verificado como autêntico por Nathan Ruser, analista de satélite do Australian Strategic Policy Institute.
Ruser disse que, ampliando os detalhes do Google Earth, como a sombra projetada de um poste ou o plantio de arbustos, ele poderia determinar que as filmagens foram feitas em abril ou agosto de 2018 em uma estação de trem a oeste da cidade de Korla.
"Através de todos esses métodos, eu pude basicamente verificar se esse vídeo é legítimo", disse ele ao ABC."Isso demonstra claramente que a impressão de Xinjiang de que a China está tentando dar ao mundo não é verdadeira.
"Eles levam jornalistas e diplomatas em passeios muito guiados e bem cuidados pela região, para campos específicos para destacar o que chamam de progresso e direitos humanos na região.
"No entanto, este vídeo destrói essa narrativa e mostra claramente o tratamento muito desumano que os indivíduos detidos recebem no sistema, na repressão iniciada em 2017 no oeste da China".
Um relatório da Sky News também citou uma fonte de segurança europeia não identificada que identificou as imagens como legítimas.
A China mantém seu tratamento aos uigures - uma minoria muçulmana de língua turca - é necessária para combater o terrorismo e o extremismo .
O governo chinês negou repetidamente que suas instalações de detenção sejam "campos de concentração" e disse que elas equivalem a internatos e centros de treinamento profissional.
As Nações Unidas disseram que há relatos confiáveis ​​de que pelo menos 1 milhão de uigures estão detidos nos campos de "reeducação" de Xinjiang.

Os escritos sobre os coletes dos prisioneiros se referem a "Kashgar" - a cidade de Xinjiang - levando Ruser a acreditar que os detidos estavam sendo transferidos de um centro de detenção em Kashgar para uma nova instalação perto de Korla, a cerca de 1.000 quilômetros de distância.
"Todas as evidências apontam para essa prática padrão de como essa repressão está sendo praticada. E é um lembrete visual muito chocante disso", disse ele.
A ministra das Relações Exteriores da Austrália, Marise Payne, descreveu o vídeo como "profundamente perturbador".
"Estou ciente do vídeo profundamente perturbador que foi publicado online", disse ela em comunicado."
Eu já levantei preocupações da Austrália sobre relatos de detenções em massa de uigures e outros povos muçulmanos em Xinjiang.
Nós levantamos essas preocupações - e continuaremos a levantá-las - tanto bilateralmente quanto em reuniões internacionais relevantes".
O Ministério das Relações Exteriores da China e sua embaixada na Austrália não responderam aos pedidos de comentários da ABC.
Em uma coletiva de imprensa na noite de segunda-feira, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Geng Shuang, não foi questionado diretamente sobre o vídeo, mas respondeu às críticas dos Estados Unidos às ações daChina em Xinjiang.
"Os EUA tentaram difamar e difamar a política da China em Xinjiang repetidas vezes, em uma tentativa grosseira de interferir nos assuntos internos da China", disse Geng."
Os fatos podem provar que essas medidas produziram resultados visíveis. Xinjiang agora desfruta de estabilidade social, boa dinâmica econômica e harmonia entre grupos étnicos. Não houve nenhum ataque terrorista nos últimos três anos.
"Essas medidas não são de natureza diferente das medidas de desradicalização e contra-terrorismo preventivas adotadas por muitos outros países".
"É arrepiante e muito horrível"
Alim Osman, presidente da Associação Uigur de Victoria , disse que é "triste e comovente" a comunidade da Austrália ver vídeos como este circulando.
"É arrepiante e muito horrível para nós. Sentimos que estamos sozinhos nessa batalha contra o regime comunista chinês", disse ele ao ABC.
"Nós, na Austrália, nos sentimos impotentes e culpados porque não podemos fazer nada a respeito."
Parece exatamente o mesmo que aconteceu na Alemanha nazista - está acontecendo novamente no século XXI", afirmou.
Osman disse que o tratamento da China aos uigures estava envolto em segredo e o destino dos detidos era desconhecido - embora ele receasse que eles pudessem ser vítimas de trabalho forçado ou até de extração de órgãos.
Houve relatos preocupantes de crianças uigures sendo separadas de suas famílias, a esterilização de mulheres uigures e a China coletando amostras de sangue e DNA de uigures.
O Sr. Osman congratulou-se com os comentários de Payne."
É hora da comunidade internacional, especialmente do nosso governo, falar contra o que está acontecendo em Xinjiang", disse ele.
"Se não falarmos neste momento da história, acho que o regime comunista chinês fará mais mal do que bem a nós e à humanidade".
O tesoureiro federal Josh Frydenberg disse ao ABC na segunda-feira que as imagens dos drones foram "absolutamente chocantes - realmente, realmente terríveis".
"Acho que todo mundo que vê essas imagens, esteja na liderança política de outros países ou entre o público em geral, ficará horrorizado com essas imagens", disse ele. 
O líder da oposição Anthony Albanese disse ao RN Breakfast na terça-feira que não havia visto as imagens.
"Eu não vi, mas ouvi relatos sobre isso. Francamente, parece completamente horrível", disse ele.
Quando perguntado como ele justificava a busca de laços militares mais estreitos com um país implicado na detenção em massa do povo uigur, ele disse que o envolvimento com a China ajudou a construir relacionamentos.
"É importante que tenhamos uma avenida, e que seja honesta, que inclua a Austrália levantando - quando apropriado - os direitos humanos que temos. Não apenas com os uigures, mas também com o povo do Tibete e outras questões. ," ele disse.
"Todas essas questões não diminuem dizendo que precisamos desse envolvimento com a China e precisamos continuar a apresentar nossos valores".
Fonte: ABC News
Leia também: PRESIDENTE DA ARGENTINA PEDE “CONVIVÊNCIA DEMOCRÁTICA” COM A VENEZUELA

Um comentário:

  1. Um Embaixador chinês recentemente ficou sem saber como reagir a esse tipo de imagem e às perguntas de um entrevistador na TV americana.

    ResponderExcluir

Obrigado pela sugestão.

BOMBEIROS DF. Tecnologia do Blogger.