TEMPLO SATÂNICO AMERICANO ATACA “EXTREMISTAS RELIGIOSOS” BRASILEIROS QUE CRITICAM ABORTO

Por Olivier
Defensores do aborto ganham reforço de peso com adoradores do Demônio criticando "extremistas religiosos" e preconizando o sacrifício de bebês
O caso do aborto da menina k., estuprada é engravidada pelo tio, teve repercussões internacionais. O jornal progressista inglês The Guardian publicou uma manchete afirmando que a jovem foi “assediada” por “extremistas religiosos” para impedir o aborto:
Dezenas de brasileiras saíram às ruas para proteger uma criança de 10 anos que estava sendo perseguida por extremistas religiosos por tentar fazer um aborto legal, após ser estuprada.
O jornal ainda entrevistou a ativista feminista Elisa Aníbal que disse categoricamente que o grupo pró-vida estava “criminalizando” a menina de 10 anos.
Para ecoar a voz das feministas e do The Guardian, a organização americana denominada “Templo Satânico” também se manifestou sobre  o caso da menina k. nas redes sociais. 

O grupo publicou no Twitter a notícia do The Guardiam para reforçar a crítica aos “extremistas religiosos”:O Templo Satânico foi fundado em 2013 em Salem, Massachusetts. O governo dos EUA reconheceu o grupo como uma religião organizada e concedeu o mesmo status de isenção de impostos que confere aos grupos religiosos, informou o Business Insider.
Fonte: Senso Incomum
Leia também: SEM VOTOS, REDE CONSEGUE “GOVERNAR” COM AJUDA FREQUENTE DO STF

Postar um comentário

1 Comentários

  1. Por isso mesmo que somos terrivelmente cristãos !
    Mas na boa, discutir com SATANISTA? Eu nem perderia um segundo...

    ResponderExcluir

Obrigado pela sugestão.