HRAN SE PREPARA PARA REABRIR ATENDIMENTO AO PÚBLICO GERAL

Nos próximos dias, 20 leitos de UTI Covid-19 serão liberados para o atendimento a outras patologias
O Hospital Regional da Asa Norte está se preparando para voltar ao atendimento geral da população. Nos próximos dias serão desmobilizados 20 leitos da Unidade de Tratamento Intensivo Covid-19 e, também, leitos de enfermaria, sendo mantidos para a doença apenas os leitos de enfermaria do 7º andar e do térreo. Os pacientes com suspeita de coronavírus poderão buscar atendimento nas Unidades Básicas de Saúde e, nos casos mais graves, nos prontos-socorros da rede.
A conversão dos leitos está prevista para acontecer em uma semana, sendo que nesse período é aguardada a alta médica dos pacientes internados e, caso não recebam a liberação até o final do prazo, esses doentes vão ser transferidos para outros hospitais. Após todas as transferências, será feita a higienização do espaço, o que costuma levar, em média, 24 horas.
“O Plano de Desmobilização leva em conta três dados que é a taxa de ocupação – que a sala de situação mostra que está próxima de 50%, ou seja, dá margem para a gente desocupar e atender outra parcela da população -, taxa de transmissibilidade, que está menor do que 1.0,  e leva em consideração a taxa de óbitos com a variável a cada sete dias, o que está em manutenção”, esclarece o secretário adjunto de Gestão, Petrus Sanchez.
Pelo plano da Secretaria da Saúde, apresentado em entrevista coletiva no início de outubro, a desmobilização dos leitos do Hran deveria acontecer depois do Hospital de Base. Sanches informou que a estratégia foi repensada para que a unidade da Asa Norte volte a atender o público em geral já na próxima semana.
O gestor ainda ressaltou que há leitos para os pacientes com Sars-CoV-2 suficientes na rede para o atendimento. “Os leitos de enfermaria Covid ficarão concentrados no acoplado de Ceilândia, com 62 leitos, no 7º andar do Hran, com 38 leitos, mais uma possível oferta na ala Covid do térreo do Hran, mais os cinco leitos do Hospital Universitário de Brasília e 20 leitos no Hospital de Campanha da Polícia Militar”, reforça Sanchez.
Para os pacientes mais graves, que necessitam de tratamento intensivo ou ventilação mecânica, ainda estão disponíveis 80 leitos no Hospital de Campanha da PM, 46 no Hospital de Base, Hospital Regional de Santa Maria, Hospital da Criança de Brasília, mais leitos no HUB e outros contratados da rede privada.
Volta dos atendimentos
Nos próximos dias, os pacientes poderão buscar atendimento no Hran nas especialidades de pediatria, cirurgia geral, obstetrícia e cirurgia plástica, com exceção da clínica médica. Também os leitos de UTI serão gradativamente ocupados por doentes de outras enfermidades, com o encaminhamento do complexo regulador.
*Com informações da Agência Saúde

Postar um comentário

0 Comentários