BOLSONARO: “SE FECHAREM DE NOVO, NÃO TEM COMO SOCORRER”

Por Paulo Moura
Chefe do Executivo afirmou que situação no país só não ficou pior por conta do auxílioO presidente Jair Bolsonaro afirmou que o governo federal não terá como socorrer a economia, caso estados e municípios optem por fechar novamente os comércios e estabelecimentos em razão de uma segunda onda da pandemia de Covid-19.
Segundo o chefe do Executivo, a situação só não ficou pior no primeiro momento da pandemia no país por conta de medidas tomadas por sua administração, como a implementação do auxílio emergencial para socorrer os mais necessitados.
– Os números agora apontam que o Brasil está voltando à normalidade. Mas não podemos fechar de novo tudo. Se fechar, o governo não tem mais como socorrer a esses necessitados [beneficiados pelo auxílio emergencial]. Ultrapassamos a nossa capacidade de endividar – afirmou o presidente. 
O líder também destacou que o “fica em casa e economia vem depois” não deu certo. Bolsonaro também ressaltou que a União “ultrapassou a capacidade de endividamento” e que, por isso, novas medidas de fechamento podem ser extremamente danosas para o país.
Fonte: Pleno News

Postar um comentário

2 Comentários

  1. Eu acho que não tem como o STF fazer política, mas como fazem sempre não tem o que fazer a não ser uma intervenção no STF e passar para o STM. Só assim o nosso Presidente conseguirá governar em paz o nosso glorioso Brasil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Unknow você está absolutamente correto mas veja como é grave a situação em que vivemos. O povo está ciente que o nosso País está caminhando para o abismo, porém ficam atônitos observando as coisas acontecerem e ninguém toma atitude, veja o exemplo, apenas o seu comentário em cima de uma matéria tao importante relatando algo tão grave. Concordo que para iniciar o combate devemos ter como primeiro alvo o local que você citou, caso contrário qualquer ação será insuficiente. O que está faltando para reverter tudo isso? CORAGEM.

      Excluir

Obrigado pela sugestão.