SEM PROVAS, CHINA SUGERE QUE CARNE BRASILEIRA CAUSOU SURTO DE CORONAVÍRUS

 Por Bruna de Pieri
A mais nova tentativa da China de negar a origem do surto de coronavírus pelo mundo agora envolve o Brasil, segundo matéria publicada pelo jornal Global Times, que é controlado pelo Partido Comunista Chinês.
Para relembrar, a China já tentou atribuir aos Estados Unidos, Itália e recentemente à Índia a origem do vírus.
A mais nova “reportagem investigativa” do Global Times diz que os países ocidentais tentaram “mudar a narrativa de suas próprias deficiências”, acusando Wuhan de ser o local “onde o coronavírus começou”.
“Como os crescentes surtos esporádicos na China foram encontrados relacionados a produtos importados da cadeia de frio, com outras partes do mundo, incluindo a Europa e o continente americano, supostamente descobrindo sinais do coronavírus antes de Wuhan, isso levanta uma nova hipótese: o surto inicial em Wuhan teve origem em alimentos congelados importados?” questiona a reportagem.
Em maio, o principal oficial de saúde da China argumentou que o mercado de Huanan, em Wuhan (Huanan Seafood Market), foi feito injustamente de “bode expiatório do surto”.
“No início, presumimos que o mercado de frutos-do-mar poderia ter o vírus, mas agora o mercado é mais como uma vítima”, disse George Gao Fu, chefe do Centro Chinês para Controle e Prevenção de Doenças, ao Global Times na época.
O Global Times reconheceu que “são necessárias mais evidências”, mas exortou os cientistas de todo o mundo “a darem as mãos para continuar a pesquisar esta hipótese e identificar a origem do vírus”.
Global Times disse que seus repórteres “descobriram, por meio de reportagens da mídia, que as lojas do Huanan Seafood Market costumavam vender frutos-do-mar importados da cadeia de frios, como caranguejo-real e marisco ártico, bem como produtos de carne do Brasil e da Alemanha”.
A cidade também importou bife australiano, cerejas chilenas e frutos-do-mar equatorianos antes de 2019, citando informações do site do bureau de comércio da cidade.
Autoridades chinesas afirmaram ter detectado o vírus em produtos congelados, incluindo lulas da Rússia e salmão da Noruega, de acordo com o The Morning Bulletin da Austrália.
A Organização Mundial da Saúde disse que não há evidências de que o vírus seja transmitido dessa forma, mas Pequim agora está insistindo na teoria.
Em 17 de outubro, o CDC chinês disse que detectou o bug em uma amostra da embalagem externa de bacalhau congelado importado, enquanto rastreava um surto em Qingdao, no leste da China, de acordo com o Global Times.
“A ideia nunca passou pela nossa cabeça antes. Mas agora parece plausível que o vírus possa ter sido importado para Wuhan por meio de produtos importados da cadeia de frio”, disse Yang Zhanqiu, vice-diretor do departamento de biologia de patógenos da Universidade de Wuhan.
Autoridades chinesas descobriram que frutos-do-mar importados de vários países estavam contaminados com o coronavírus, de acordo com a publicação.
“Teoricamente, é possível que o coronavírus de outros países tenham causado o surto precoce em Wuhan, mas não temos evidências”, disse um especialista anônimo de Pequim ao Global Times.
Fonte: Terça Livre

Postar um comentário

1 Comentários

  1. Se eu fosse o chefe de estado, cortaria todo acordado comercial

    ResponderExcluir

Obrigado pela sugestão.