CEO DO PARLER RESPONDE AMEAÇA DE REMOÇÃO DA APPLE

Após a empresa multinacional Google decidir remover o aplicativo Parler de sua loja de aplicativos, a Apple também ameaçou tomar a mesma medida nesta sexta-feira (08).
A empresa deu 24 horas para que os responsáveis pelo aplicativo apresentem um plano de moderação detalhado.
Em um comunicado o CEO do Parler, John Matze, escreveu uma resposta à decisão da Apple dizendo que “aparentemente, eles sabem o que é melhor para você (usuário dos produtos apple), dizendo quais aplicativos você pode ou não usar. ”
E acrescentou: “Aparentemente, eles acreditam que Parler é responsável por TODO o conteúdo gerado pelo usuário no Parler. Portanto, pela mesma lógica, a Apple deve ser responsável por TODAS as ações realizadas por seus telefones. Cada carro-bomba, cada conversa ilegal por telefone celular, cada crime ilegal cometido em um iPhone, a Apple também deve ser responsável por… Normas não aplicadas ao Twitter, Facebook ou mesmo à própria Apple se aplicam a Parler. ”
“Não vamos ceder à pressão de atores anticompetitivos! Faremos e sempre faremos cumprir nossas regras contra violência e atividades ilegais. Mas NÃO cederemos às empresas com motivação política e àqueles autoritários que odeiam a liberdade de expressão! ”, disse o CEO em duas publicações numa rede social.
“A mídia tentou alegar que ‘A Insurreição’ foi organizada em Parler. Existem alguns problemas com isso.”
“1) Parler não tem como organizar nada, os grupos do Facebook foram usados ​​fortemente para organizar os protestos. 
2) Os protestos são protegidos constitucionalmente. 
3) Maus atores transformaram o protesto em tumulto”, argumentou Matze.
“Eu conheço a mídia e todos querem apontar o dedo e culpar. É conveniente para eles transformarem o Parler em um bode expiatório.”“
A realidade é que todos que apontam o dedo são os culpados”. Precisamos começar a pensar criticamente novamente e parar de culpar uns aos outros. DEVEMOS tentar humanizar uns aos outros novamente, não desumanizar aproveitando táticas de caça às bruxas que irão realizar o oposto de seus propósitos pretendidos”, completou o CEO.
Diversos usuários de redes sociais nos Estados Unidos começaram a migrar para o Parler, Telegram e para a plataforma Gab, citando a censura por parte das plataformas convencionais como o Twitter, Facebook e a mudança de regras do WhatsApp.
The Epoch Times.

Postar um comentário

0 Comentários