Banner Acima Menu INTERNAS

- PUBLICIDADE -

A mão invisível de Joe Biden

Por Edilson Salgueiro
Depois de discursar em uma universidade na Carolina do Norte, o presidente dos Estados Unidos cumprimentou ninguém
Em 1776, o filósofo e economista britânico Adam Smith escreveu o livro A Riqueza das Nações. A obra mostra, entre outras coisas, as vantagens dos países que cresceram no sistema de livre comércio de bens e serviços.
Considerado um clássico da economia, A Riqueza das Nações cita uma única vez o termo “mão invisível”. Em linhas gerais, esse conceito defende a ideia segundo a qual a economia é capaz de regular-se a si própria, sem intervenções de terceiros (monarcas, governantes, burocratas). É como se uma mão invisível estivesse por trás e fosse capaz de resolver os eventuais problemas de escassez de produtos e de altos preços.
Corta para 14 de abril de 2022. O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, criou um novo conceito de “mão invisível”. Depois de discursar na Universidade Estadual Agrícola e Técnica da Carolina do Norte, o democrata desceu do púlpito, virou-se para o lado direito e estendeu a mão, como para cumprimentar uma pessoa. Mas não havia ninguém ali.
https://revistaoeste.com/mundo/a-mao-invisivel-de-joe-biden/
Alvo de humoristas sauditas
Um clipe do programa humorístico Studio 22, exibido na Arábia Saudita, viralizou nas redes sociais na última terça-feira, 12. O vídeo retrata Biden como incapaz. O esquete também brinca com a vice-presidente norte-americana, Kamala Harris.
O ator que interpreta o democrata não está ciente de seu entorno e parece prestes a adormecer. A personagem de Kamala orienta o presidente sobre o que dizer e fazer. No fim do vídeo, Biden finalmente adormece.
“Muito obrigado! Hoje, vamos falar sobre a crise na Espanha”, disse Biden. “Sim, falaremos sobre a crise na África. Sim, Rússia! Quero falar sobre o presidente da Rússia, Putin. Sim, Putin. Ouça-me, tenho uma importante mensagem para você. A mensagem é: … E o presidente da China… O quê? Não terminei de falar sobre a Rússia? Obrigado por me corrigir, primeira-dama. Muito obrigado! Deus os abençoe…”
“Obrigado”, agradeceu Kamala. “Aleluia! Aplausos para o presidente. Agora!”
Fonte: Revista Oeste 
Receba de forma ágil todo o nosso conteúdo, através do nosso canal no Telegram!

Postar um comentário

0 Comentários