TITULO

CORRIDA AO GDF JÁ COMEÇOU. MAS SERÁ O PRIVILEGIADO , OU MERECEDOR?


Por Poliglota
Hoje (28) o Portal Metrópoles publicou uma pesquisa de intenção de votos, caso as eleições ao governo do Distrito Federal fossem realizadas hoje, com os possíveis candidatos ao Buriti para 2018. No entanto, pesquisamos que em vez de deixar o eleitor mais informado do que já está, acabou por deixá-los confusos. Muitos consideraram as pesquisas totalmente tendenciosas e de encontro ao cenário que os próprios postulantes têm divulgado através de pesquisas próprias (Clique Aqui). 
É notório que a sociedade, desde as últimas eleições, está mais antenada com os nomes e as possibilidades de cada candidato que almeja ocupar a cadeira nº 01 do Buriti. O acompanhamento tem sido constante e as ferramentas da tecnologia moderna já não permitem mais manipulações, o que também já não é mais aceito pelo eleitorado.
Os dados da pesquisa
Pelas pesquisas estimulada pelo Instituto Dados e seguindo a ordem, o senador Antônio Reguffe (SEM PARTIDO) aparece na liderança com 19,8% das intenções de votos, seguido do ex-secretário de saúde Jofran Frejat com 10,7%, do ex-governador do governo Agnelo Queiroz (PT),Tadeu Filippelli (PMDB) com 6,8%, Izalci Lucas (PSDB) com 4,9%, Rogério Rosso (PSD) com 4,2%, Rollemberg (PSB) com 3,9%, Chico Leite (REDE) com 3,7%, Alberto Fraga (DEM) 2,9%, Agnelo Queiroz (PT) com 2,0%, Celina Leão (PPS) com 1,8%, Renato Santana (PSD) com 1,1% e o Ex-presidente do TCDF Renato Rainha com 0,3%.
Bom que se frise que as pesquisas realizadas pelo Instituto Dados se resumem a locais pré-determinados para os questionamentos, como por exemplo, a Rodoviária Central do Plano Piloto. Lá, como o fluxo de pessoas é bastante elevado, as pesquisas de aceitação e rejeição são efetuadas no mesmo instante.
Fraga contesta pesquisa
Dos citados na pesquisa, o deputado Alberto Fraga foi o primeiro a questionar a pesquisa produzida pelo Instituto Dados e divulgada pelo Portal Metrópoles. Em contato com o blog, Fraga encaminhou uma pesquisa encomendada por sua assessoria entre os dias 27 de novembro e 9 de dezembro junto ao 3º maior instituto de pesquisas do país, o AXIOMAS, o qual aparece liderando o ranking de postulantes com 7,8% das intenções de votos, seguido de Frejat com 7,5% e Rollemberg com 6,6%.
A surpreendente posição de Rollemberg, segundo Fraga, se dá pelo fato do mesmo ainda estar no comando do GDF, consequentemente, com o poder da máquina administrativa nas mãos e disso não abrirá mão até 2018, mesmo que negue. Sua rejeição, ao contrário do divulgado, chega próximo aos 80% com o governo pífio que faz.
Fraga está confiante nas pesquisas realizadas pelo instituto OXIMAS e na opinião pública que não aguenta mais os discursos frágeis dos candidatos. Sua linguagem direta e sem meios termos reflete em muito o pensamento de grande parte da sociedade de Brasília e isso é um fator importante na corrida ao Buriti, apesar de achar pré-maturo qualquer afirmação nesse momento.
Um detalhe importante que o deputado Fraga fez questão de frisar é o fato de que as pesquisas realizadas pelo instituto OXIOMAS utilizam o sistema de GPS, ou seja, vão diretamente na casa do eleitor para efetuar os questionamentos, aleatoriamente.
Os prováveis “não candidatos”
Uma situação que parece ter sido inobservada pelas pesquisas, se dá ao fato de que alguns dos candidatos citados correm o risco de não concorrerem aos pleitos de 2018. Alguns por decisão própria e outros por questões na justiça que os impediria de concorrer normalmente.
O Ex-vice governador do Distrito Federal, Tadeu Filippelli (PMDB), por exemplo, foi condenado juntamente com Agnelo Queiroz (PT) e considerados inelegíveis por oito anos pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) em julgamento dia 27 de outubro passado. Os desembargadores responsáveis pelo julgamento entenderam que a dupla usou a "máquina pública" do governo do DF para fortalecer a campanha à reeleição, em 2014 e perdeu por 4 votos a 3. Ainda cabe recurso ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral).
O Senador Antonio Reguffe (SEM PARTIDO) já declarou à imprensa de que não concorrerá ao cargo majoritário de governador, preferindo cumprir e honrar seu mandato junto ao eleitorado que confiou a ele seus votos. Pela postura sempre correta e ética do senador, seu eleitorado não acredita que ele quebrará sua palavra. Da mesma forma Rogério Rosso (PSD) afirma que não pensa em candidatura ao GDF e seu foco principal é a possibilidade de vencer as eleições para a Presidência da Câmara dos Deputados agora no início de 2017.
O deputado Izalci Lucas (PSDB), estava até bem nas pesquisas, mas um deslize do partido local em apoiar o governador Rollemberg nas eleições da Câmara Legislativa, onde Rollemberg teve seu candidato Agaciel Maia derrotado no último minuto com a mudança do voto do tucano Robério Negreiros, acabou por deixar a sociedade desconfiada e em perigo seus projetos políticos rumo ao Buriti. Mesmo posteriormente divulgando a oposição ao governo de Rollemberg a desconfiança permanece.
Já a Leoa Celina Leão, que fazia um bom trabalho, acabou sendo prejudicada pelas armações do governo Rollemberg, como ela própria afirmou. Seu afastamento da presidência da Câmara Legislativa e as sucessivas derrotas acabaram por colocá-la num cenário desfavorável, o que não significa que os próximos dois anos de exercício efetivo de seu mandato, legitimamente delegado pelos eleitores, não possam reverter essa situação. Celina é querida no Distrito Federal e tem como vantagem uma ampla divulgação de seus trabalhos em prol da sociedade brasiliense.
Direita tentando se organizar
A verdade é que a direita está buscando um caminho alternativo e sólido com vistas a 2018. Um grupo desses direitistas vem se reunindo constantemente e discutindo o cenário local. Pelas conversas que tivemos com alguns desses componentes desse grupo, Brasília está acima de qualquer coisa e o objetivo é resgatar a confiança da sociedade e do eleitorado que se tornou extremamente exigente, principalmente, após as denúncias de corrupção que assolaram o país e Brasília.
Não devemos, sob hipótese alguma, descartar ainda alguns possíveis candidatos que correm por fora e até não admitem, que se livrando e alguns obstáculos poderão apimentar mais ainda a corrida pelo GDF, como Eliana Pedrosa, José Roberto Arruda, Cristovam Buarque, Pitman e Geraldo Magela, Alírio Neto, Toninho do PSOL e até mesmo alguém do clã Roriz, como Liliane Roriz.
Vamos aguardar, pois mesmo 2018 estando ainda distante, na prática política ele está bem aí, batendo às portas.


Nenhum comentário:

Obrigado pela sugestão.

BOMBEIROS DF. Tecnologia do Blogger.