TITULO

EM UM ANO, SETE PESSOAS MORRERAM VÍTIMAS DE RAIO NO DF

Com o período de chuva, o número de acidentes aumenta, e não é só no trânsito. Os raios também representam risco ao brasiliense. De acordo com dados do Grupo de Eletricidade Atmosférica (Elat) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), em 2015 foram contabilizadas sete mortes relacionadas a esse fenômeno. Neste ano ainda não houve registro de óbito, mas os especialistas ressaltam que é importante tomar medidas preventivas. Ontem mesmo, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu alerta para a aproximação de uma tempestade.
Segundo o coordenador do Elat, Osmar Pinto Junior, procurar abrigos e evitar o uso de determinados objetos são medidas que podem impedir incidentes graves. “Materiais metálicos como guarda-chuva, cerca elétrica e enxadas devem ser excluídos do uso neste período. Permanecer dentro de uma casa ou de um carro também é mais seguro do que ao ar livre”, indica o especialista em eletricidade atmosférica e mudanças climáticas do Inpe.
Ele acrescenta que, apesar de dificilmente raio atingir diretamente a vítima, os danos causados pelas faíscas elétricas podem deixar sequelas permanentes. “Algumas pessoas ficam com problemas na audição, na visão e na cabeça. Em outros casos, os atingidos podem até adquirir habilidades, como em um caso fora do Brasil, em que o homem aprendeu a tocar piano sem ao menos ter frequentado uma aula”, diz. Osmar adverte que os casos variam de acordo com a intensidade do raio.
Escapou duas vezes
Ágatha Cruz, de 20 anos, passou por uma experiência nada agradável. “Há três semanas, quase fui atingida. A minha sorte foi estar passando próximo a um prédio com para-raios. Fiquei paralisada”, lembra a estudante de Enfermagem. Ela conta ainda que não foi a primeira vez. “No ano passado o medo foi maior, porque resolvi esperar a chuva passar embaixo de uma árvore e caiu um raio bem ao lado”, lembra.
De acordo com dados do Inpe, a cada cinco pessoas atingidas por raios, quatro sobrevivem no Brasil. Os números de vítimas deste ano só devem ser fechados até junho de 2017.
A Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil (SPDC), ligada à Secretaria da Segurança Pública, também faz um alerta. O órgão cita que é preciso redobrar a atenção e adotar algumas medidas para evitar acidentes com os raios, como usar telefone sem fio e ficar distante de tomadas, canos, janelas e portas metálicas. Se estiver na rua, é importante evitar andar a cavalo e não mergulhar em piscinas, córregos, rios e lagos e não procurar abrigos embaixo de árvores.
Efeitos
Os raios podem causar incêndios, queimaduras e até parada cardíaca. Nos locais onde não existem para-raios, a energia provocada pelo fenômeno natural pode atingir antenas e cercas elétricas. As descargas irradiam para os fios, aumentam a tensão, e causam grandes explosões. Já as pessoas que são atingidas pelos raios podem sofrer a parada cardíaca quando a corrente elétrica atinge diretamente o coração.
Fonte: Jornal de Brasília


Nenhum comentário:

Obrigado pela sugestão.

BOMBEIROS DF. Tecnologia do Blogger.