OPINIÃO: O INÍCIO DO FIM

Por Donny Silva
Distante dos holofotes, ao final de uma importante reunião realizada na manhã desta sexta-feira (9), iniciou-se o fim da candidatura de Jofran Frejat (PR) ao Palácio do Buriti.
Reunidos numa mesa com seus quase 500 mil votos, os políticos Paulo Octavio (PP), Izalci Lucas (PSDB), Alberto Fraga (DEM), Rogério Rosso (PSD), Alírio Neto (PTB)  e os representantes dos partidos da frente Cristã, Daniel de Castro (PSC), Wanderley Tavares (PRB), Pacco (Avante) e Paulo Fernando (Patriotas) deram início a um grande acordo em defesa de Brasília, sem as vaidades de uma candidatura imposta na marra, com um sentimento de grupo e a certeza que desse grupo sairão os candidatos mais preparados e unidos em prol da cidade.
Tadeu Filippelli, indiciado por seis crimes pela PF na Lava Jato, foi literalmente deixado para trás. Jofran Frejat (PR), com sua equipe lado B que inclui Valério Neves, Fernando Leite e outras conhecidas raposas da velha política também caminham a passos largos para mais uma derrota!
Pelo que se viu recentemente, Frejat parece nada ter aprendido em suas três últimas derrotas (2006, 2010 e 2014). Segundo relatos, nem o tempo de aposentadoria forçada em casa parece ter sido capaz de amenizar sua arrogância e prepotência. Isolou aliados, xingou blogueiros e agora, refém de Filippelli, encontra-se sozinho. É candidato de si mesmo, pois até aquele que o ressuscitou de seu ostracismo político parece agora também tê-lo abandonado.
Jofran Frejat liga atordoado em busca de apoios, mas o fato é ele, que sempre afirmou que seria candidato apenas se obtivesse o apoio de todos, agora vive preso numa sociedade aparentemente comercial com Filippelli, que mais uma vez mira as obras futuras e seus frutos.
Frejat isolou-se de vez. Sua candidatura é com uma pedra de gelo nas mãos. Derrete a cada segundo. Em breve tornar-se-á simples poça d’água.  Menos mal, pois poderia tornar-se em lama, e Tadeu Filippelli como bom engenheiro, adora lama.
Filippelli e Frejat estão juntos e se merecem. É o sujo usando o limpo intempestivo para tentar voltar ao poder e ao comando das “grandes transformações”.
É o fim da caminhada do octogenário Frejat sem ter dado um passo positivo sequer na direção de reconhecer que, na política, vence quem tem grupo, projeto, diálogo e principalmente humildade. Exatamente o que faltou ao famoso médico e ex-político.
E política não se faz sozinho nem com imposição. Se faz com gestos de grandeza e não com sinais egoístas de insensatez.
Fonte: Donny Silva 
Leia também: FRENTE CRISTÃ SE APROXIMA DE DEM, PTB E PAULO OCTÁVIO



Um comentário:

  1. Trocando um pelo outro, nenhum é mais confiável, podemos ser burros ao votar ,mas dementes, ainda não!

    ResponderExcluir

Obrigado pela sugestão.

BOMBEIROS DF. Tecnologia do Blogger.