SEGURANÇA É A ÚNICA COISA QUE IMPORTA

Em tempos em que só se fala de Marielle e eleições, é preciso entender: segurança é a única coisa que importa nessas eleições. Nas ruas, no ventre ou de crianças em museus.
Por Guten Morgen, Brasilien!
O assunto do Brasil é apenas eleições 2018 e Marielle Franco, a vereadora do PSOL assassinada no Rio de Janeiro. Já afirmamos que o que definirá essas eleições será aborto, homem pelado no museu e tiro. E isto resume nosso tema a uma palavra: segurança. Seja dentro da barriga da mãe, tendo uma infância saudável ou andando nas ruas sem morrer.
Não parece algo difícil de se entender e menos ainda de se explicar, e não é preciso ser um gênio intelectual para entender a lógica: antes de decidir qualquer coisa, como a privatização dos meios de transporte ou a taxa de juros, é preciso continuar vivo. Continuar vivo é algo interessante. Então, segurança precede saúde, educação, economia, meio ambiente, saneamento básico etc etc etc.
Até mesmo corrupção.
O curioso é notar como a mídia parou o país para falar do assassinato de Marielle Franco, e sobretudo a Rede Globo virou um eco do programa político-partidário do PSOL, dizendo que a vereadora era uma pessoa sensacional, abnegada, lutando pelas “minorias” e, claro, ativista dos direitos humanos, dando a entender sempre que foi morta exatamente por isso.
Mas ninguém parece ter coragem de dizer o que Marielle e seu partido, o anatemoso PSOL, defendiam, como a desmilitização da PM e da Guarda Civil Metropolitana, o aborto, as exposições com trosobas sendo colocados na cara de criancinhas, a descriminalização das drogas e tudo aquilo que só deixa as pessoas cada vez mais inseguras nas ruas.
O PSOL, aliás, é uma esquerda bem específica: não é mais a esquerda dos velhos marxistas e trotskystas, apesar de conter com alguns quadros da velha guarda (como Babá ou Plínio Arruda), mas se tornou o arquétipo da new left, uma esquerda mais preocupada com crianças travestis do que com proletários, mais interessada em casamento gay do que em chão de fábrica, muito mais influente entre riquinhos maconheiros do que entre pedreiros e lixeiros.
Afinal, não está na hora de admitir o óbvio, apesar de não ser dito pela mídia: que tudo o que importa para o futuro do país é melhorar a segurança, pública e privada, do ventre à velhice, e que a esquerda, ainda mais sua versão extremada transubstanciada no PSOL, é quem mais deixa os brasileiros inseguros, com risco de morrer mais alto no Brasil do que em países devastados por uma miséria muito maior?

Nenhum comentário:

Obrigado pela sugestão.

BOMBEIROS DF. Tecnologia do Blogger.