BOLSONARO CULPA GOVERNADORES POR PREÇO ALTO DE COMBUSTÍVEIS


Por Saulo Araújo
Presidente usou o Twitter para dizer que valor nas bombas não cai porque chefes de estados "não admitem perder receita"
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) culpou os governadores dos 26 estados e do Distrito Federal pela alta no preço dos combustíveis. Em cinco posts no Twitter, ele disse que os chefes dos executivos locais não admitem perder receita, mesmo com a queda dos valores cobrados nas refinarias.
Na primeira publicação feita na tarde deste domingo (02/02/2020), Bolsonaro escreveu: “Pela 3ª vez consecutiva baixamos os preços da gasolina e diesel nas refinarias, mas os preços não diminuem nos postos, por que?”.
No post seguinte, ele mesmo responde: “Porque os governadores cobram, em média 30%, de ICMS sobre o valor médio cobrado nas bombas dos postos e atualizam apenas de 15 em 15 dias, prejudicando o consumidor”.
Na sequência, o presidente promete tentar “mudar a legislação por lei complementar, de modo que o ICMS seja um valor por litro e não mais pela média dos postos”. Depois, emenda com uma provocação. “E agora? Em quanto tempo? Como fica o interesse dos governadores? Etc …”.
Veja a sequência de posts do presidente no Twitter:


Venda direta
Na semana passada, Bolsonaro já havia defendido a venda direta do etanol sem a participação de intermediários. “Nós baixamos em 3% em média o preço dos combustíveis nas refinarias. Mas na bomba aumentou de preço“, reclamou
Fonte: Metrópoles

Um comentário:

  1. Isso e difícil a ganância por dinheiro dos governos não pensa que um combustível mais barato trás maior giro da economia , parabéns presidente vc encherga isso tô c vc.

    ResponderExcluir

Obrigado pela sugestão.

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
BOMBEIROS DF. Tecnologia do Blogger.