ALCOLUMBRE ENDOSSOU NOME DE TEICH PARA SAÚDE NO LUGAR DE MANDETTA

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), foi consultado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre a nomeação de Nelson Teich para o Ministério da Saúde dois dias antes da demissão de Luiz Henrique Mandetta (DEM), apurou a CNN com quatro assessores e senadores ligados a Alcolumbre. O senador disse ao chefe do Executivo que, caso não fosse possível manter Mandetta, o melhor nome seria o de Teich.
Alcolumbre não tem uma relação direta com Teich, mas é próximo do empresário da construção civil Meyer Nigri, responsável pela aproximação do presidente da República com a comunidade judaica. Na semana passada, Nigri foi quem intercedeu junto a Bolsonaro para que o oncologista assumisse o Ministério da Saúde.
CNN apurou que uma das ações do empresário foi telefonar para o presidente do Senado, pedindo que Alcolumbre intercedesse pelo nome de Nelson Teich. Nigri e Alcolumbre integram a comunidade judaica e, sempre que está por Brasília, o empresário -- que mora em São Paulo -- se encontra com o senador. 
Segundo fontes ouvidas pela reportagem, essa não foi a primeira vez em que Nigri procurou Alcolumbre para interceder por alguém. Em fevereiro de 2018, quando o senador do Democratas assumiu a presidência do Senado, o empresário pediu que ele mantivesse no cargo a diretora-geral da Casa, Ilana Trombka. 
A princípio, Alcolumbre pensou em demitir a servidora do cargo de direção, já que Ilana é muito próxima ao MDB e dos ex-presidentes do Senado que eram da legenda. No entanto, o democrata resolveu mantê-la no cargo após o pedido de Meyer Nigri e ao saber da ligação de Ilana com a comunidade judaica.
Fonte: CNN

Postar um comentário

1 Comentários

  1. Será que o PT quer acabar com o povo brasileiro de uma vez, porquê com a economia do povo ele Já acabou

    ResponderExcluir

Obrigado pela sugestão.