EMPRESAS CHINESAS NÃO PODEM MAIS SER LISTADAS NA BOLSA AMERICANA

Nesta quarta-feira, o Senado americano aprovou, por unanimidade, lei que impede algumas empresas chinesas de serem listadas na Bolsa de Nova York.
Isso aumenta ainda mais a tensão existente entre os dois países, que vêm se desentendendo desde o início da pandemia de coronavírus.
O projeto, que uniu o republicano John Kennedy e o democrata Chris Van Hollen, exige que as empresas que queiram entrar na Bolsa demonstrem que não são controladas por um governo estrangeiro.
Nos Estados Unidos, se a empresa não pode atestar que não é controlada por um outro país ou se o Conselho de Supervisão Contábil de Empresas Abertas não puder auditar a companhia por três anos consecutivos para determinar isso, os valores mobiliários dela são banidos das operações em Bolsa.
Kennedy afirma não querer uma nova Guerra Fria, mas que a China apenas cumpra as regras.
A tensão entre Estados Unidos e o país asiático cresce desde que o presidente Donald Trump passou a afirmar que a principal culpada pela pandemia de coronavírus é a China. Nesta quarta-feira, Trump retomou seus ataques à gestão da crise e disse que a “incompetência” chinesa foi o que causou um “massacre global”.
O Partido Republicano tem criado uma série de projetos de lei voltados a punir a China pela falta de transparência com informações sobre a pandemia ou proativa na restrição de viagens, desde que se detectou o vírus pela primeira vez em Wuhan.
Fonte: NBO

2 comentários:

Obrigado pela sugestão.

BOMBEIROS DF. Tecnologia do Blogger.