EX SECRETÁRIO DE SAÚDE DO GOVERNADOR WITZEL, NEGOCIA DELAÇÃO NA PGR

Por Tarciso Morais
Operação investiga suposta fraude na compra de respiradores pelo estado para o combate ao coronavírus.
A operação do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ), que prendeu na semana passada Edmar Santos, ex-secretário de Saúde da gestão do governador Wilson Witzel, atrapalhou as negociações do acordo de delação dele com a Procuradoria-Geral da República (PGR).
Fontes ouvidas pelo blog Radar, da revista Veja, no Superior Tribunal de Justiça (STJ) confirmaram que as tratativas estavam avançadas quando os agentes bateram na casa de Santos.
Para tentar evitar que outras forças prejudiquem os trabalhos, a PGR pediu à Corte que concentre todas as frentes do caso na PGR, tirando o MP do Rio da jogada.
A corrupção em contratos da pandemia de coronavírus no governo Witzel é investigada em inquérito da Polícia Federal (PF) na operação “Placebo“.
O suposto esquema de corrupção na compra de respiradores também é alvo da operação “Mercadores do Caos“, no MP do Rio.
Por isso, nesta segunda-feira (130), a PGR pediu ao presidente do STJ, ministro João Otávio de Noronha, a soltura de Edmar Santos.
O órgão alega que os fatos investigados pelo MP-RJ na são os mesmos que estão sendo investigados pela PGR, destaca o portal G1.

Postar um comentário

0 Comentários