O JORNALISMO FUNESTO E SEM ÉTICA DE HÉLIO SCHWARTSMAN

Por Elisa Robson
Pouco depois de ter sido vítima de uma tentativa de assassinato em março de 1981, ex-presidente norte-americano Ronald Reagan, ferido à bala, disse aos médicos que o atendiam: “Espero que todos sejam republicanos". O cirurgião-chefe, Joseph Giordano, um Democrata “de carteirinha”, respondeu: “Hoje, Presidente, somos todos Republicanos”. 
Uma lição de ética, honra e civilidade.
Três palavras completamente desconhecidas do jornalismo brasileiro atual. Aqui, os constantes e crescentes ataques da imprensa contra o Presidente Bolsonaro não apenas rompem agora todos os limites de dignidade, quanto de decência e o mínimo de respeito. 
No caso mais recente e chocante, em artigo de opinião publicado no jornal Folha de S.Paulo (07/07/2020), o jornalista Hélio Schwartsman escreveu que torce pela morte do presidente Jair Bolsonaro - que foi diagnosticado com Covid-19 e iniciou o tratamento precoce com hidroxicloroquina. "Torço para que o quadro se agrave e ele morra. (...) O sacrifício de um indivíduo pode ser válido, se dele advier um bem maior”, registrou. 
O texto não apenas causou repúdio entre os conservadores, como até mesmo reação na imprensa de esquerda, que repercutiu o conteúdo como “polêmico”.
Como resposta, o ministro André Mendonça (Justiça e Segurança Pública) anunciou que vai determinar à Polícia Federal que investigue o colunista com base na Lei de Segurança Nacional. Ao informar sobre a abertura do inquérito, Mendonça elencou princípios do Estado democrático de Direito. Entre eles, o da liberdade de imprensa. Destacou, no entanto, que a Constituição limita essas liberdades.
O ministro Fábio Faria (Comunicações) lamentou a publicação. “O artigo é um ataque claro à instituição da Presidência da República e merece todo o repúdio dos jornalistas e de todos os poderes para que possamos caminhar para um armistício patriótico”.
O ministro Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) declarou que o jornalista tem de responder criminalmente. “Absurdo e repugnante todo esse ódio contra o nosso Pres. Bolsonaro! Ninguém pode concordar com tamanha agressão ao Chefe de Estado do Brasil! Jornalista que afirma querer a morte do Presidente deve responder criminalmente!”.
Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente, também se manifestou: “Repugnante o artigo do jornalista Hélio Schwartsman. Fica claro o seu #OdiodoBem Meu respeito, lealdade e orações de pronta recuperação ao nosso Presidente Jair Bolsonaro.”
Contudo, porém, nenhuma palavra de reprovação, até o momento da publicação deste artigo, foi emitida por órgãos como a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) ou da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), por exemplo.
Elisa Robson é jornalista, com Mestrado em Comunicação e Linguagens. É casada com Ronaldo Robson de Freitas, eles têm três filhos e residem em Brasília

Postar um comentário

2 Comentários

  1. Isso é um verdadeiro absurdo com um Presidente eleito democraticamente por quase 60milhões de brasileiros, um PRESIDENTE que vem trabalhando incansávelmente pelo Brasil, HONESTO ÍNTEGRO VERDADEIRO E LEAL AO POVO BRASILEIRO, merece respeito e aplausos por tudo que vem fazendo, desse jornalista só sinto pena,:É espero que Deus faça a sua própria justiça, pois essa jamais falha.

    ResponderExcluir
  2. Que Deus tenha piedade a esse escrevente em tão sujos quanto e ele mesmo , nome dele já fala o origem de não do meu Amado e querido Brasil

    ResponderExcluir

Obrigado pela sugestão.