PRESIDENTE DA ARGENTINA PEDE “CONVIVÊNCIA DEMOCRÁTICA” COM A VENEZUELA

Por Fernando de Castro
O socialista Alberto Fernández rejeitou sanções econômicas impostas contra o regime de Nicolás Maduro
Em entrevista para a Rádio AM 750 nesta quinta-feira (16), o presidente da Argentina, o socialista Alberto Fernández enfatizou a rejeição de seu governo às sanções econômicas impostas contra a ditadura da Venezuela e pediu a “convivência democrática no país”.
Na última terça-feira (14), a Alta Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, afirmou que a independência da justiça venezuelana foi prejudicada, contribuindo, assim, para a impunidade e violações dos direitos humanos.
“A Argentina ratificou sua decisão de preservar os direitos humanos em qualquer esfera e governo e expressou preocupação com o bloqueio, porque é uma punição que o povo venezuelano não merece”, disse Fernández na entrevista.
O argentino disse que a Venezuela precisa encontrar uma “saída para a convivência democrática sem interferência de terceiros” e que nem ele e nem Trump “devem dizer aos venezuelanos o que eles devem fazer”. Sobre as ações tirânicas do ditador Nicolás Maduro, Fernández nada comentou.
Ao contrário do seu antecessor Mauricio Macri e de 50 países das Américas e da Europa, o socialista não reconhece Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela.
Na última quarta-feira (15), o instituto de estatística Indec anunciou que a inflação da Argentina sofreu um aumento de 2,2% e o acumulado dos últimos 12 meses é de 42,8%. As tarifas dos serviços públicos estão congeladas temporariamente e o governo de Fernández um controle cambial.
Fonte: Brasil Sem Medo

Nenhum comentário:

Obrigado pela sugestão.

BOMBEIROS DF. Tecnologia do Blogger.