WITZEL NA CORDA BAMBA: DELATOR TEM CONVERSAS GRAVADAS COM O GOVERNADOR

Quando percebeu que estava sendo “fritado”, assim que veio a tona o escândalo do superfaturamento de contratos relacionados ao combate a pandemia, o ex-secretário de saúde do Rio de Janeiro, Edmar Santos, passou a gravar conversas com inúmeros políticos. 
O teor dessas conversas ainda não foi revelado, mas teria sido fundamental para que fosse fechado o acordo de delação premiada com a Procuradoria Geral da República. 
Entre as gravações produzidas pelo delator, há diálogos com o governador Wilson Witzel. 
Em nota e na defensiva, a assessoria de Wizel diz que ele jamais teve, em toda a sua gestão, “qualquer conversa que não fosse a respeito de assuntos governamentais e de interesse da população fluminense com o ex-secretário de Saúde ou com qualquer outro integrante do governo”. 
O fato é que existe uma série de denúncias sobre superfaturamento e direcionamento de editais. De sete hospitais de campanha, apenas dois foram inaugurados, mesmo assim com capacidade abaixo da prevista. Mil respiradores para pacientes infectados em estado grave, pelos quais o estado pagou R$ 36 milhões, nunca chegaram. Desse total, apenas 52 foram entregues, e nenhum era adequado para o tratamento da Covid-19. 
Difícil acreditar que Witzel não sabia de nada...
Fonte: JCO

Postar um comentário

0 Comentários