QUATRO OBRAS VÃO DESAFOGAR A EPTG E VIA ESTRUTURAL

Governo investe R$13,8 milhões em acessos viários que vão beneficiar Vicente Pires, Águas Claras e Taguatinga. Três obras já geram 110 empregos.
Um pacote de quatro obras viárias que está sendo tocado pelo GDF vai mudar a vida de milhares de motoristas do DF. Em especial, aos que usam a via Estrutural (DF-095) e a EPTG para as necessidades diárias. O resultado esperado é menos tráfego e uma economia na quilometragem rodada. O valor total das quatro obras é de R$ 13,8 milhões.
O Departamento de Estradas e Rodagem (DER) está com duas pontes bem adiantadas: uma sobre o Córrego Samambaia que liga o viaduto Israel Pinheiro (EPTG) ao primeiro balão de acesso a Águas Claras e Arniqueira. E outra na via marginal da Estrutural (DF-095) sobre o Córrego Vicente Pires.
A Secretaria de Obras, por sua vez, trabalha na execução de outras duas na região do Vicente Pires: uma ponte de 82 metros que liga a rua 4 da cidade direto à EPTG.  E está sendo finalizada uma licitação para a construção de uma via de ligação entre as ruas 1 e 3B, abrindo mais um acesso à cidade e desafogando as outras duas entradas.
“Essas duas obras são muito aguardadas pela população de Vicente Pires. Quando concluídas, essas pontes vão melhorar consideravelmente o trânsito, uma vez que vão acabar com aquelas voltas enormes que os motoristas precisam dar para chegar em alguns locais. Estamos satisfeitos em conseguir atender a esses pleitos”, pontua o Secretário de Obras, Luciano Carvalho.
A comunidade também ganhará com a ponte sobre o Córrego Vicente Pires, que chegou à sua fase final no último fim de semana, com a finalização da concretagem da laje. Vai poupar tempo de quem usa a Estrutural, pois foi feita na marginal.
“A gente tira o motorista que anda internamente na Estrutural e passa ele para a marginal. Evita que ele tenha de fazer um retorno lá na frente em Taguatinga. Vai beneficiar o pessoal dessa cidade, do Vicente [Pires], os condomínios próximos ao Jóquei e das redondezas”, explica diretor-geral do DER, Fauzi Nacfur. À exceção da obra que ainda está em licitação, as obras que já estão em andamento geraram 110 empregos.
Bom para Águas Claras
Já a estrutura sobre o Córrego Samambaia terá papel importante na época das chuvas. A ponte é uma reivindicação antiga da comunidade e vai solucionar um problema que acomete quem trafega pelo trecho entre o viaduto e o primeiro balão no sentido Águas Claras e Park Way.
O transbordo da água do córrego durante o período chuvoso é intenso, causando alagamentos e também interdições.
A estrutura conta com um vão de 20 metros de comprimento e 15,5 metros de largura, sendo constituída por três faixas de rolamento de três metros e meio cada, além de uma ciclofaixa. Cerca de 60 mil veículos passam pelo local todos os dias.
“Vai ajudar demais pra quem segue pra Águas Claras, Arniqueira e Areal. Nossos moradores pediam muito via ouvidoria uma mudança nesse trecho. Era muito alagamento, a via ficava intransitável. Isso daí vai acabar”, comemora o administrador de Águas Claras Francisco da Silva, o Chicão
Por fim, a obra em licitação no Vicente Pires, chamada pela Secretaria de “Obra de Arte Especial 3”, está na fase de escolha de propostas. A expectativa é que em dois meses saia do papel. Ela também evitará o uso da EPTG, pois o acesso à cidade será direto.
INVESTIMENTOS E DATA ENTREGA:
–  Ponte – Marginal Via Estrutural –  R$ 3,1 milhões . Previsão entrega: início de outubro
– Ponte – Viaduto Israel Pinheiro/acesso Águas Claras –  R$ 2,4 milhões – Previsão entrega: segunda quinzena de outubro
– Ponte – Rua 4 Vicente Pires/EPTG – R$ 2,3 milhões – Previsão entrega: dezembro
– Ponte – Ligação entre as ruas 1 do Jóquei e 3B de Vicente Pires –R$ 6 milhões – Previsão entrega: primeiro semestre 2021
Fonte: Agência Brasília
Leia também:

Postar um comentário

0 Comentários