USO DE MÁSCARAS PODE CONTRIBUIR PARA O AUMENTO NAS TAXAS DE INFECÇÃO POR COVID, DIZ ESTUDO

Por Mattew Vadum
A obrigatoriedade de máscara protetora que visam combater a propagação do vírus CCP que causa a doença COVID-19 parecem promover sua propagação, de acordo com um relatório da RationalGround.com, uma câmara de compensação de tendências de dados COVID-19 administrada por um grupo de base de analistas de dados, cientistas da computação e atuários.
Os pesquisadores examinaram casos que cobriam um período de 229 dias, de 1º de maio a 15 de dezembro, e compararam os dias em que os governos estaduais impuseram mascaras e os dias em que não o fizeram.
Nos estados com decreto em vigor, houve 9.605.256 casos confirmados de COVID-19, o que corresponde a uma média de 27 casos por 100.000 pessoas por dia. Quando os estados que não tinham uma ordem estadual em vigor - houve 5.781.716 casos, com média de 17 casos por 100.000 pessoas por dia.
Em outras palavras, o uso obrigatório de máscara protetora têm um histórico ruim no combate ao coronavírus. Os estados que impuseram a ordem produziram uma média de 10 infecções há mais relatadas por dia do que os estados sem obrigatoriedade.
“A correlação inversa entre os períodos de mascaramento e não-mascaramento é notável”, tuitou o cofundador da RationalGround.com, Justin Hart, em 20 de dezembro.
Os 15 estados que ficaram sem a obrigatoriedade de máscara em todos os país durante a análise foram Alasca, Arizona, Flórida, Geórgia, Idaho, Iowa, Missouri, Dakota do Norte, Nebraska, New Hampshire, Oklahoma, Carolina do Sul, Dakota do Sul, Tennessee e Wyoming, notas de Daniel Horowitz em um explicador na Conservative Review.
Os analistas concederam aos estados com imposição ao uso de máscara, um período de carência de 14 dias a partir do momento da implementação para iniciar a contagem dos casos contra a eficácia da máscara para chegar a resultados precisos.
Os defensores do uso máscara protetora podem dizer que as ordens eram frequentemente impostos uma vez que os casos já se espalharam rapidamente, então há um viés negativo de aumento de casos nas áreas (ou épocas) que tinham imposição em vigor, mas "não havia evidência de qualquer redução de casos ou resultados ainda melhores muitas semanas depois ”, escreve Horowitz.
O pesquisador da RationalGround.com, Ian Miller, descobriu que três condados na Flórida - Manatee, Martin e Nassau - que deixaram seus as ordens expirarem, tiveram menos casos per capita do que os condados que mantiveram o mandato.
Miller tuitou sarcasticamente em 20 de dezembro que era "extremamente confuso como isso poderia acontecer, considerando" a alegação do lado de que as máscaras de proteção "são a ferramenta de saúde pública mais importante que temos" e que as máscaras "fornecem proteção para o usuário , também."
“A religião das máscaras terá uma série de desculpas imprecisas prontas para serem usadas, mas é claro, eles estão obscurecendo e ignorando que isso não deveria ser possível, não importa quais sejam as circunstâncias atenuantes, se as máscaras fossem tão eficazes ou importantes como nos disseram ”, Escreveu Miller.
Nem, de acordo com Miller, o uso da máscara protetora funcionou em estados como a Califórnia, onde foi imposto muito antes do início do aumento de casos.
“A simples realidade é que não há dados legítimos que mostrem que as máscaras funcionaram”, conclui Horowitz.
Há quem questione as descobertas, argumentando que a densidade populacional distorce os resultados. O estudo analisou a Flórida usando dados do condado e não encontrou nenhuma correlação entre o uso da máscara e menos casos, mesmo ajustando para a densidade populacional, Horowitz observa.
Enquanto o governador da Flórida, Ron DeSantis, um republicano, foi atacado vigorosamente pela grande mídia por se recusar a impor o uso de máscara protetora em todo o estado, os condados no estado que evitaram o uso, tiveram um bom desempenho no estudo.
Dos 67 condados do estado, 22 impuseram uma ordem do executivo em algum momento durante o período examinado.
Quando os condados cumpriram o uso de máscaras, houve 667.239 casos, para uma média de 23 casos por 100.000 pessoas por dia. Quando os condados não tinham o uso de máscaras, eram 438.687 casos, para uma média de 22 casos por 100.000 pessoas por dia.
“Quando você isola apenas os 12 condados mais populosos do estado ... oito deles tiveram pedidos de máscara eficazes implementados em algum ponto durante o período de estudo, e quatro nunca tiveram um pedido em todo o condado (Brevard, Lee, Polk e Volusia),” Horowitz escreve.
“Quando os oito tinham um pedido em vigor, havia 24 casos por 100.000 por dia. Por outro lado, durante os dias em que as ordens não existiam (o que nunca acontece em quatro condados, e algumas semanas em sete dos outros oito, exceto Miami-Dade), ocorreram 17 casos por 100.000 por dia. ”
Não há evidências de que o uso da máscara protetora esteja correlacionados com uma disseminação reduzida do coronavírus, afirma ele.
“Na verdade, o oposto é verdadeiro”, escreve Horowitz.
“E com certeza não é por causa de uma falta de conformidade.”
Fonte: The Epoch Times

Postar um comentário

1 Comentários

  1. Ignorantes seres que se acham entendidos em covid 19
    Um vírus que age de forma diferente em cada pessoa é de difícil diagnóstico,
    estas Vacinas são uma viagem sem destino...
    Todo mundo perdido sem rumo .
    Temos muitos remédios que poderiam ser usados, mas a ânsia por ganhar dinheiro e poder sempre será maior nestes estrategistas nojentos que vem abusando da humanidade...

    ResponderExcluir

Obrigado pela sugestão.