SLEEPING GIANTS TENTA AMENIZAR FAKE NEWS QUE PROPAGOU SOBRE OLAVO

Por Bruna de Pieri
O casal com viés de esquerda, Mayara Stelle e Leonardo Leal, que diz lutar contra as “fake news”, mas persegue conservadores, disseminou notícia falsa sobre o filósofo e professor Olavo de Carvalho na última segunda-feira (11)
O Sleeping Giants disse em seu perfil no Twitter que após meses de pressão, Olavo tinha sido banido da plataforma de pagamentos PagSeguro, pertencente ao Grupo Folha.“Após meses e a pressão de mais de 560 mil brasileiros na campanha #BloqueiaPagSeguro, a empresa finalmente aplicou os Termos de Uso e não prestará mais serviços ao curso de ódio e desinformação do guru! Agradecemos ao @pagseguro e @cppinvestments pela responsabilidade social”, comemorou o Sleeping Giants.
A empresa, no entanto, negou que tenha expulsado Olavo, informando que “somente conteúdos apontados como infringentes mediante o recebimento de ordem judicial específica são tornados indisponíveis. Isso não ocorreu até o momento, e notícias veiculadas sobre o tema são falsas”.
Olavo de Carvalho também desmentiu a informação, dizendo que o PagSeguro “tem resistido ao assédio do Sleeping Giants e nunca incomodou o Seminário de Filosofia. Mas o serviço não era mais compatível com a nova versão do site. Essa história de que fui banido é pura fakenews”.
De acordo com Silvio Grimaldo, diretor do Brasil Sem Medo e responsável pelo gerenciamento do Seminário de Filosofia, a decisão de interromper os pagamentos recorrentes dos assinantes foi tomada pela equipe técnica do site, para que os alunos possam renovar suas assinaturas dentro do endereço eletrônico novo, que foi totalmente reformulado.
A informação falsa foi compartilhada por Felipe Neto e pelo jornalista Guilherme Amado, do tabloide “Época”.
Outros sites como Estado de Minas, Metrópoles, Yahoo, Revista Fórum, Brasil 247, Diário do Centro do Mundo e Carta Capital também replicaram a notícia falsa.
Depois de desinformar, a Sleeping Giants tentou amenizar a situação, criticando a empresa PagSeguro por não ter banido Olavo. Ainda elogiou o jornalista Guilherme Amado por “identificar o erro e corrigí-lo”.
Após publicar informações sem checar os fatos com a fonte principal, ou seja, o PagSeguro, Guilherme Amado foi corrigido por diversos internautas. Em seguida, corrigiu a notícia inicial, dizendo que “após ser procurada na segunda-feira e não responder à coluna, a PagSeguro negou, nesta terça-feira, que tenha banido Olavo de sua plataforma”.
Fonte: Terça Livre

Postar um comentário

1 Comentários

Obrigado pela sugestão.