ASSOCIAR MAIS ARMAS A MAIS CRIMES É ‘ESTUPIDEZ, AFIRMA DEPUTADO

Por Anderson Scardoelli
Coronel Tadeu (PSL-SP) defende decreto editado por Bolsonaro
O aumento da quantidade armas em circulação em um país não é sinônimo de crescimento da criminalidade e defender o oposto é sinal de “estupidez”. Ao menos esse é o ponto de vista do deputado federal Coronel Tadeu (PSL-SP). Ele falou sobre o tema durante em entrevista à rede Jovem Pan na noite desta segunda-feira, 15.
Ao participar de Os Pingos nos Is, atração que na edição de hoje contou com Ana Paula Henkel e Guilherme Fiuza, colunistas da Revista Oeste, o parlamentar afirmou que outros países repensaram suas políticas de acesso a armas nos últimos tempos. Como exemplo, o congressista citou a Inglaterra. Nesse sentido pontuou que alguns estudos apontam a queda de índices de criminalidade quando há mais acesso a armas.
“Ninguém vai entregar arma não mão de quem não sabe usá-la”
Ciente do que classifica de “narrativa da esquerda” com o decreto do presidente Jair Bolsonaro sobre posse e porte de armas para quem já conta com registro, Coronel Tadeu reforçou que não é qualquer pessoa que poderá empunhar um revólver, por exemplo. “Ninguém vai entregar arma não mão de quem não sabe usá-la”, enfatizou.
Rigor
Ainda sobre o assunto armamento no Brasil, Coronel Tadeu colocou-se favorável ao decreto editado por Bolsonaro no último fim de semana. Nesse sentido, destacou que o texto presidencial mantém “critérios cada vez mais rigorosos” para a posse e o porte de arma no país. De acordo com ele, o governo está dedicado a somente desburocratizar alguns processos, sobretudo a praticantes de tiro esportivo e colecionadores de armas. Por fim, lembrou que a questão foi uma das promessas de campanha do atual presidente da República. 
Fonte: Revista Oeste 
Participe do nosso canal no Telegram e receba todas as notícias em primeira mão. CLIQUE AQUI

Postar um comentário

1 Comentários

Obrigado pela sugestão.